Aniversário de 2 anos do Rarozine Fest

Sábado 27/02, chuva aos píncaros, até o final da tarde. Mas no final das contas, desligaram o caminhão pipa lá do céu e a ordem do bom tempo reinou por aqui. Quem abriu o aniversário de 2 anos do Rarozine Fest ensinando a fazer equação, foram os caras do Sick (Uberlândia MG). Muita técnica, tempos quebrados, dissonâncias e post-rock fino, aquele mesmo de dar orgulho, foram o que os caras apresentaram. Muita energia e melodia em alternância, seguindo o script do estilo. Em nossa opinião, foi o destaque do evento.

Sick

Na sequência, Color for Shane (São Bernardo do Campo), garageira insana, o duo caprichou na apresentação. Barulhento e dançante. Prato cheio para quem gosta do Gories, Flat Duo Jets e The Sonics.

Color for Shane

I Am the Sun, Stoner Rock direto de Bragança Paulista, além de detonar com canções do disco lançado no ano passado, tocaram Albatross do Corrosion Of Conformity e fecharam com Red Fang. Pesado, bonito e envenenado com as guitarras embebecidas em fuzz de Diogo Baker. Vida longa ao I Am the Sun.

I am the sun

Dando continuidade ao Aniversário de 2 anos do Rarozine Fest, o headliner da noite. Os paulistanos do Firefriend vieram para arrasar, com viagens psicodélicas das guitarras e teclados, nuances e texturas criadas pela Yury Hermuche, vocais incríveis da Julia Grassetti e uma cozinha perfeita executada por Caca Amaral e Julia.Com certeza a melhor banda da noite.

Firefriend



E por fim, numa apresentação relâmpago, o Albatroz (Bom Jesus dos Perdões-SP), com velocidade e peso, tocaram por 5 minutos. Da mesma forma que o Ramones iniciava um show e acabava antes mesmo da polícia chegar ao local.

Albatroz

Agradecimentos ao German Martinez, Daniel Caribé e a todos envolvidos na organização do Aniversário de 2 anos do Rarozine Fest.Que venham os próximos!!!!

Por que ler Os Miseráveis de Victor Hugo é importante ?

Os Miseráveis

Os Miseráveis

Os Miseráveis de Victor Hugo é um clássico universal, embora seja um livro para ser lido por qualquer pessoa (foi escrito com este intuito). É vagaroso, bem descritivo e repleto de digressões (Ações ou resultados de se desviar do assunto tratado, segundo dicionário Aulete)

Mas vale a pena ler este livro do Victor Hugo?

Certamente não é dos livros mais fáceis, mas é de uma construção literária memorável.
Com personagens e enredo acima da média, conta a história de Jean Valjean, um homem muito azarado, com família numerosa, que foi condenado 20 anos a trabalhos forçados, por roubar pão para dar de alimento aos seus sobrinhos.

Após ser discriminado impiedosamente pela sociedade, busca o alento nas leis e providencia divina. Deixando o egoísmo, ganancia, vingança e outros sentimentos humanos de lado.
Sua busca foi ser um homem honrado e digno de respeito.

Jean Valjean tem um perseguidor implacável, chamado Javert, é um inspetor da polícia, rígido, inflexível e incapaz de fazer qualquer tipo de favor ou concessão. Obcecado por justiça, quer prender Jean Valjean a qualquer custo.

Fantine, que foi abandonada pelo namorado grávida, de Cosette, lançada a sorte dos trambiqueiros dos Thernandiers, casal que cuidava de Cosette e aplicava golpes e efetuavam roubos.

Depois de anos de sofrimento, Fantine na desgraça, pagando o que já não podia aos tutores de sua filha Cosette, cai doente, depois de excessos e da vida desregrada como prostituta nas ruas. Deixando Jean Valjean como tutor da pequena Cosette.

Passam-se anos, Javert caça Jean Valjean e Cosette (agora já uma mulher), mudam-se constantemente, para escapar do inquisidor da polícia.

Marius Pontmercy surge na vida de Cosette

Marius Pontmercy é um jovem estudante, e o pretendente de Cosette.Entre encontros e desencontros da vida, se distanciam. Ele acaba tornando-se revolucionário e junta-se a um grupo de amigos na guerra, decidido a morrer. De família rica e monarquista, Marius desentende-se com seu avô Monsieur Gillenormand e decide viver sem auxilio monetário dele.
Deste ponto em diante a história desenrola-se em pequenas tramas repletas de personagens expressivos e que dividem seus problemas insolúveis.

Fica dica de leitura para este grande clássico, Os Miseráveis é sensacional, tenham uma boa leitura!

Bendito Mal – Rock Alternativo do Rio Grande do Sul

Bendito Mal

Bendito Mal é uma banda independente de rock alternativo de São Leopoldo – RS. Com sonoridade que remete não só ao alternativo, como também ao Hard Rock, Country e Folk, as letras se caracterizam por serem sarcásticas, irônicas e repletas de irreverencia.

A banda vem atuando na região metropolitana de Porto Alegre para divulgar seu trabalho autoral que está presente no CD independente de nome homônimo lançado em maio de 2015.

O clipe da canção A chuva me deixou mais feliz, com um toque de country/folk music, é uma produção em conjunto com o instituto Bellecour Ecole da França. As duas frentes se uniram para a montagem da animação, que tem como trilha sonora a música “A chuva me deixou mais feliz” – faixa bônus do primeiro CD do Bendito Mal.

A animação figura o sentimento que a música traz, em uma divertida (e ao mesmo tempo melancólica) trama entre as personagens. O curta é uma produção muito bem elaborada pela Bellecour Ecole, que é uma instituição especializada em design digital, que aderiu a ideia proposta pela banda, e firmou a parceria.

Contatos:
bandabenditomal@gmail.com
facebook.com/bandabenditomal

Salvage – Math/Post-Rock carioca

salvage
Salvage é um quarteto do Rio de Janeiro formado por Marcel Motta (bateria), Herbert Santana (guitarra), Victor Cardoso (guitarra) e Ingo Lyrio (baixo), que tem como referência os gêneros math-rock e post-rock, com influências de bandas como Toe, Pele, Linda Martini e Don Caballero. O primeiro EP, “MΔE”, foi lançado no último dia 14 pela Bichano Records e é composto por intro + três faixas.

 

Todas as faixas, gravadas em novembro de 2014, foram captadas por Ingo Lyrio, baixista da banda, e editadas por Marcel Motta, baterista. As mixagens de “Pele” e “ganhardepoisperder” foram feitas por Pedro Garcia, baterista do Planet Hemp, e as de “Voz Forte” por Fabio Campos. Quem assina a arte do EP é Henrique Vital.

 

Recentemente, o quarteto fez seu show de estréia na Audio Rebel (RJ), em mais um evento organizado pela Bichano Records. No próximo domingo, 21, toca no Dona Vegana, Centro do Rio.

Acompanhe:
Salvage – Facebook

Bichano Records – Facebook, Twitter

Mad Sneaks – Grunge Mineiro

Mad-Sneaks---Promo-1

Sabe aquela saudade do grunge que todos sentimos?
Então… Mad Sneaks é um Power trio, do interior de Minas Gerais, surgiu em 2009 com Agno (guitarra/vocal), Amaury (bateria) e Adriano (baixo). Seu primeiro single “Sangue sujo” foi lançado na web em 2011 e fez um buzz na crítica especializada. Já em 2012, lançou o clipe e o single de “Rótulo”, que é uma canção que fala sobre preconceitos, e a terrível mania de rotular tudo que se vê pela frente. Com esse Vídeo clipe de animação, a banda levou o grande prêmio no projeto Conexão Vivo Movida, sendo exibido em Belo Horizonte, Salvador, Recife, Goiânia e João Pessoa, capitais que a mostra percorreu.

Ainda em 2012, a Mad Sneaks gravou seu primeiro disco “Incógnita” em 8 dias, no estúdio SuperFuzz, façam o download aqui. Este álbum, Incógnita, teve masterização do renomado (produtor Jack Endino aka Nirvana, Soundgarden, Pearl Jam etc)
O som deste power trio mineiro é remete ao grunge, punk, novo metal e influências dos anos 80 e 90.

Todos os três clipes da banda, das músicas “Rótulo”, “A Cura” e “Sangue Sujo” estão sendo exibidos nos canais: VH1, Multishow, Music Box Brazil, Woohoo, Play TV, Mix TV e BIS. Abaixo links e mais links do Mad Sneaks, boa audição:

Site Oficial:
www.madsneaks.com.br

Loja Oficial – Mad Store:
loja.madsneaks.com.br

Facebook Oficial:
www.facebook.com/madsneaks

Clipe da Música – Rótulo:
https://youtu.be/VJJAYvY9OzI

Clipe da Música – A Cura:
https://youtu.be/swEln0lbi0g

Clipe da Música – Sangue Sujo:

https://youtu.be/QX7pH6-qNa8

Incógnita – YouTube:
https://youtu.be/LzWocChUo8I

Enema Noise – Post-Hardcore de Brasília

Enema Noise

Vocês conhecem o Enema Noise, banda de Brasília, com aquela pegada meio Fugazi sabe? Estão com EP novinho, o quarto registro, saiu dia 14 de janeiro pela Bichano Recs (Rio), Transtorninho (Recife) e Share This Breath (Brasília).

festival-suburbano-por-alex-almeida

O Enema Noise começou 2009, foi quando o Rafael conheceu o Murilo e daí para a frente gravaram e fizeram shows sem parar. Mas o Rafael, usa o nome desde 2007 quando fazia músicas com bateria eletrônica. Tiveram várias formações e atualmente são: Rafael Lamim (guitarra, voz), Daniel (bateria, voz), Murilo (guitarra) e Morais (Baixo).

festival-suburbano-por-flavio-souza-(6)

O estilo também mudou bastante. Nas primeiras gravações tinha uma influência de industrial rock e sons pesados, com o tempo se identificaram com o post-hardcore dos anos 90 (Fugazi, Indian Summer, Drive Like Jehu – caso não conheçam nenhuma das 3 bandas citadas, corram atrás do pai dos burros, aka Google, pois são 3 bandas “puro creme do milho”). O Enema Noise participou de grandes festivais como Porão do Rock (Brasília) e Vaca Amarela (Goiânia), mas hoje privilegiam o circuito independente.

Onde encontrar o Enema Noise:
facebook

twitter

tumblr