Teatro da Rotina – Programação especial em novembro para 5º aniversário

Com Ná Ozzetti e Passo Torto, Lineker, Zéu Britto, Jair Naves e Bratislava entre seus headliners, line-up marca celebração de mais um ano de resistência do espaço independente

              Fundado em 2012 por Leonardo Medeiros – ator, diretor e dramaturgo – o Teatro da Rotina – coletivo de artistas e comunicólogos localizado na rua Augusta, n° 912 – congregará seus medalhões musicais a partir de 1° de novembro (quarta-feira) para um mês inteiro de celebração. Permeada por folk, rock, mpb, psicodelia e prog, a pluralidade da programação conta – desde novembro de 2016 – com curadoria da jornalista Bijou Monteiro e, durante o mês festivo, terá o reforço dos padrinhos sonoros Daniel Ribeiro (frontman de Guaiamum), Flavio Tris, Rodrigo Saffuan (jornalista e guitarrista do sexteto Sol a Pino) e Jairo Pereira (frontman de Aláfia e Mutum) como mestres de cerimônias dos eventos.  

             Iniciado pela apresentação de Wander B (em 1°/11), o ciclo de shows contará com apresentações de Mutum (2/11), Grená (de Uirá Ozzetti, em 3/11), Versos Que Compomos Na Estrada (4/11), Paulo Monarco (8/11), Anna Tréa (9/11), Passo Torto e Ná Ozzetti (10/11), Jair Naves (11/11), Zéu Britto (15/11), Consuelo de Paula (16/11), Lineker (17/11), Sol a Pino (18/11), Felipe Camara (22/11), Bratislava + Oto Gris (23/11), Guaiamum + Naked Girls And Aeroplanes (24/11), Bernardo do Espinhaço (25/11), Socorro Lira (29/11) e Flavio Tris (30/11). Com ingressos antecipados a preço promocional de R$ 20,00 por show no link https://www.teatrodarotina.org/ingressos, os eventos começam sempre às 21h e têm censura livre.    

               Calcado na temática de resistência artística, o Teatro da Rotina é um espaço sem patrocínios ou fins lucrativos mantido estritamente com o dinheiro das bilheterias das apresentações e, ainda, com a ajuda do trabalho voluntário de sua aguerrida companhia formada por Clara Moraes, Bruna Brito, Diego Monteiro, Elly Dantas, Juliana Simon, Neto Medeiros, Paula Vilhena, Rodrigo Lavorato, Victor Deamo e Vinícius Ferreira.

Serviço:

  • Teatro da Rotina/SP
  • Data dos shows: de 1° até 30/11/2017 (shows às quartas, quintas, sextas e sábados)
  • Endereço: Rua Augusta, nº 912 – Centro (Linha verde – Estação Consolação)
  • Lotação: 50 assentos
  • Horário das apresentações: 21h
  • Valor do ingresso: R$ 20,00 antecipado no site https://www.teatrodarotina.org/ingressos ou R$ 40,00 na porta. O Teatro da Rotina aceita cartões de débito, crédito e pagamento em dinheiro.
  • Estacionamento não-conveniado: R$ 20,00
  • Censura: Livre   

Para acompanhar:

Foto:

  • Tatiana Bauer Nolla

 

Versos Que Compomos Na Estrada lança single de ‘Salinas’

Presente no compacto ‘Um Verão Qualquer’, faixa marca a continuidade da trilogia idealizada pelo duo paulista
 
Resgate que congrega folk, baião e a poesia cancioneira de Humberto Teixeira, Bob Dylan, Atahualpa Yupanqui e Gilberto Gil, Versos Que Compomos Na Estrada lança ‘Salinas’, o segundo single de ‘Um Verão Qualquer’, segundo compacto – por sua vez – da trilogia iniciada em 2016. Assim como a faixa ‘Cais’, debutada em setembro deste ano, ‘Salinas’ foi produzida por Lucas Mayer, gravada no estúdio Dafne e ilustrada por Pedro Gabriel, artista responsável pelo projeto-personagem ‘Eu Me Chamo Antonio’.
 
Solar e embalada pelo frescor que antecede o verão, ‘Salinas’ abarca elementos de baião – sempre presentes na rotina de Lívia Humaire e Markus Thomas, músicos fundadores do duo – e representa a gradação sonora do compacto ‘Um Verão Qualquer’. Iniciada com ‘Cais’, faixa reflexiva e com contornos de caixinha de música noir, o disco – que ganha corpo a cada nova canção divulgada – reitera Versos Que Compomos Na Estrada como uma dupla de poetas com rara delicadeza sonora.
 
Anacrônico e orgânico, o duo escreve a maior parte de suas canções na cidade de São Paulo para encontrar na estrada o verdadeiro lar. Com seu primeiro disco inteiriço lançado em 2014, Lívia e Thomas começaram a tríade de compactos com ‘Desate’ (2016) para, a partir dele, contrariar a velocidade devoradora do mundo e saborear as faixas homeopaticamente com seu público. 
 
Com um milhão de plays no Spotify, Versos Que Compomos Na Estrada tem canções gravadas por A Banda Mais Bonita da Cidade e histórico de shows lotados em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Belo Horizonte, Mariana, Caxias do Sul, Porto Alegre, Portugal, Alemanha e Paris. 
 
Imagem/créditos:
• Mario Águas
 
Ficha técnica: 
• Composição: Lívia Humaire e Markus Thomas
• Arranjo:  Lucas Mayer
• Produção: Lucas Mayer
• Mixagem e masterização:  Rodrigo Deltoro
• Vocais: Lívia Humaire e Markus Thomas
 
Acompanhe:
• Instagram – http://www.instagram.com/versosquecompomosnaestrada (hashtags #versosquecompomosnaestrada e #somosorganicos)

O Lendário Chucrobillyman & Thee Dirty Rats na Associação Cultural Cecília

chucrobillyman

Nesta última sexta-feira 06/10, corremos para rodoviária depois do expediente, o propósito era simples.
Conseguir chegar a tempo no show do Thee Dirty Rats e Chucrobillyman, este último, assistimos a última apresentação há 10 anos atrás.

thee dirt rats

Quem começa o jogo são os caras do Thee Dirty Rats, com um garage rock bem dançante, Luis Tissot assombra com sua cigar box guitar e bateria do Fernando Hitman é aula de mestrado, onde se aprende a extrair uma sonoridade única mesmo tocando com set minimal .

chucrobillyman

Para encerrar a noite O Lendário Chucrobillyman, Hasil Adkins com a viola rozini todo estropiada, joia rara de Itararé, mais psycho que nunca, fez uma apresentação memorável.Colocou todos para dançarem o chicken flow style. Fechou a noite com canção Macumba, do homônimo álbum Man-Monkey. Agradecimentos a Associação Cultural Cecília, sempre organizando eventos nota 10.Até a próxima!!!

Sol a Pino lança o lyric video de ‘Nada Distante’

sol a pino
Integrado por Iran Ribas (guitarra e vocal), Guto Passos (baixo), Julio Epifany (bateria), Leo Bosnic (teclado), Rodrigo Saffuan (guitarra e vocal) e Vini Blanco (percussão), Sol a Pino congrega elementos percussivos da música afro-brasileira, rock, soul, funk e, ainda, a poesia presente em canções de Paulo Leminski, Torquato Neto, Waly Salomão e Jorge Mautner. Imersa no processo criativo de seu primeiro álbum desde o início deste ano, a banda é responsável pelo recorde de público do Teatro da Rotina – novo epicentro da música independente localizado no Baixo Augusta – em 2017. 
 
Gravada no Veredas Estúdio, morada de discos com sonoridades escaldantes como Felipe S, Zé Pereira e La Mota, ‘Nada Distante’ foi composta e mixada por Iran Ribas, frontman do grupo. Produzida em parceria do vocalista com o maestro/arranjador Giuliano Ferrari, a canção conta com Maurício Mumu no trombone, Fabio de Oliveira no trompete e Renata Canin entre vozes/poesias. Em meio a um período histórico tão áspero, o single – debutado em 29 de setembro na Billboard Brasil – tem em ‘fluxo de energia reativa’ – sua expressão-mote – um escudo groovado contra as influências negativas que nos rondam.
 
Com doses cavalares de psicodelia, Sol a Pino – selecionada por voto popular entre os finalistas do concurso Nivea Viva 2017 – é peito aberto, corpo denso e alma estanque permeados por riffs mercuriais, batuques contagiantes, calor-torpor e delírio-telúrico. 

Acompanhe e conheça:
• Facebook – https://www.facebook.com/osolapino (#osolapino #almasolar)
• Billboard Brasil – http://bit.ly/2x2BVgm
 
Foto/créditos:
• Leo Bosnic