Zewar Fadhil – Iraque no mapa da fotografia conceitual

Arte e Fotografia unem-se para expressar numerosas emoções através das obras de Zewar Fadhil, fotógrafo conceitual, extremamente talentoso do Iraque.  “A vida é melancolia infinita.”

A angústia que a alma humana sofre é a avenida que conduz à inspiração. Um retrato íntimo que retrata a lamentação da vida, os fardos da dor e a inconsistência da existência. Nós desesperadamente gastamos nossas vidas se agarrando a cordas, para puxar-nos da ilusão, mas é inevitável que vamos perder a nossa esperança e cair mais no mais fundo abismo que tentamos escapar .

Somos todos espectadores, e todos somos responsáveis ​​pelo que escolhemos ignorar ou empurrar para a frente. A escuridão só pode ser combatida quando lançamos o nosso medo e a incompreensão de lado e encaramos isso de frente. Somente então pode alguma luz ser derramada, e nela ser dada alguma introspecção na psique humana, nossa própria e aquela da massa.

Há histórias incessantes de perda levada dentro de todos nós. Estas não são minhas histórias sozinhas, nesse sentido não há isolamento aqui. São as histórias que eu testemunho, não só durante toda a minha vida para alimentar a memória, mas essas histórias e vidas quebradas que eu testemunho em uma base diária. Não é o trabalho de um artista para retratar apenas seus próprios ideais e pontos de vista, mas também é seu dever dar ao espectador algo de substância emocional; Um trampolim para uma possível auto-iluminação, ou pelo menos a auto-avaliação e relatabilidade.

Eu trabalho para contar essas histórias com honestidade brutal, mantendo o simbolismo poético que merecem.

Eu acreditava que teria sido em vão, tentar esculpir cenários que eu achava que eram verdadeiros para a vida, então eu comecei a encontrar formas de capturar o elemento que eu sabia que era absolutamente necessário; A tristeza inflexível que cada alma experimenta e revelando o que está escondido dentro de cada coração humano – desespero implacável.A alma da inspiração vive dentro do corpo da miséria.Trabalhando desde 2011 como um fotógrafo de arte e conceitual. ( Zewar Fadhil)

“Quando a alma sofre demais, desenvolve o gosto pela desgraça”.
Albert Camus

Este artigo foi adaptado do original, “Zewar Fadhil” do ND Magazine

no images were found

O Olhar provocativo através das lentes de Donato Di Camillo

Há pouco tempo um amigo me convenceu a criar uma conta no instagram. Eu tinha um certo preconceito com essa rede social, mas isso não é assunto para agora.

Hoje eu vim falar de um cara que me chamou atenção. Ele não é bonitão, sarado, famoso, ou qualquer atrativo escancarado que surja na sua cabeça.

Você irá encontrá-lo como Donato Dicamillo no instagram.

A primeira vez que eu o vi foi na área de sugestões. Era uma foto de uma senhora idosa com o corpo que estaria longe dos padrões de beleza, contudo ela se propôs a posar para Donato e se manteve numa postura bem a vontade. Me agradou apreciar, era um momento congelado numa tarde ensolarada na praia.

dicamillo

Hoje pela manhã, lá estava ele novamente como sugestão no instagram.

Donato apresenta uma assinatura singular e inquietante em suas fotografias, (talvez pelo seu histórico de vida – vale a pena conferir um pouco da história no site) é possível ficar desconfortável e imaginar quanto nós seres humanos, somos bizarros.

Estamos sempre tão preocupados em mostrar nosso melhor ângulo, parecermos atraentes nas fotos que no fim ficamos como um rótulo de produto de embalagem, todos iguais.

É preciso celebrar as diferenças as imperfeições, somos bizarros, estranhos, iguais a alienígenas devem ser e isso não deveria ser vergonha pra ninguém.

Envelhecer, engordar demais, ser de outra etnia, ou qualquer distinção que seja diferente não deveria nos impedir de sermos quem somos.

Não deveria ser um problema para os outros e uma barreira de socialização.

Não deveria ser a vergonha por esconder nossos corpos e nos apresentarmos como somos. Nascemos nus e porque nosso corpo se torna um problema com o passar dos anos?

Ao ver o trabalho de Donato eu penso nisso e foi pensando que desejei compartilhar com vocês essas impressões.

Convido vocês a apreciar um olhar provocativo.

Donato Di Camillo

Erik Johansson transpõe a realidade com photoshop

dont-look-back-duofox

Estas imagens não são animações ou desenhos complexos.O fotógrafo autodidata, Erik Johansson explica em seu site http://erikjohanssonphoto.com/ que “não quer capturar momentos, quer captar ideias.” E bem, algumas de suas ideias são muito estranhas. O artista radicado em Berlim fotografa assuntos diferentes, e depois com a magia do Photoshop, compila em criativos, cenários e situações muitas vezes de outro mundo.

Uma foto pode ser constituída por centenas de imagens diferentes que Johansson mistura perfeitamente sintetizando em uma peça perfeita.

Depois de esboçar e planejando uma ideia, Johansson recolhe seu material, sem o uso de fotografia (ele quer ser criador de tudo sozinho). Em seguida, ele coloca todas as fotografias em conjunto, um processo que pode variar no tempo necessário, de alguns dias a várias semanas. “Esta parte é como um quebra-cabeça”, Johansson escreve em seu website. “Eu tenho todas as peças, eu só preciso colocá-las juntos.”

O resultado são estranhas ilusões ópticas, que desafiam a vida normal.

Este artigo foi adaptado do “Photoshop wizard bends reality with hundreds of photographs” do Mashable.

Confira os trabalhos de Erik Johansson:

Charles Peterson – A fotografia da Ascensão de Seattle

diver-nirvana-duofox

diver-nirvana-duofox

Nos anos 80, recém graduado na Universidade de Washington, Charles Peterson foi passar uma temporada em Seattle e acabou documentando cenas do cotidiano da cidade e de inúmeras bandas. Com sua câmera, passava grande parte de seu tempo em clubes onde as banda se apresentavam, fotografando seus integrantes e suas performances. Mas com este hobby, que até então, trazia apenas a vontade de fotografar por diversão, assim por dizer, acabou tornando-se emprego na Sub Pop.

Bruce Pavitt e Jonathan Poneman trouxeram para Seattle, um pequeno selo chamado Sub Pop que em pouco tempo se tornou uma máquina de caça-talentos. Soundgarden, Nirvana, Alice in Chains, Screaming Trees, Mudhoney, Pearl Jam, TAD e um trilhão de bandas excepcionais. Logo Charles Peterson, estava trabalhando no selo ao lado de figurões como Jack Endino.

Charles Peterson tornou-se conhecido por retratar a ascensão da cena grunge de Seattle do final dos anos 80 ao início dos anos 90. Sempre fotografou de forma natural e espontânea.
Sem poses forçadas, apenas o momento, documentando os atos sem pretensão. É desta forma, que sua fotografia destaca e nos leva ao cotidiano com outros olhos.

Confira o trabalho de Charles Peterson:

Ruin Porn: Tendência Fotográfica que gera polêmica

detroit-architecture-ruin-porn-duofox

detroit-architecture-ruin-porn-duofox

Você já deve ter visto alguma foto de locais abandonados e tomados pela natureza, se você achou as fotos incríveis, não está sozinho. O movimento é uma tendência na fotografia, o Ruin Porn ou Ruin Photography, chame como preferir, no entanto, esta simples atitude de fotografar locais em ruínas vem causando certa polêmica.

Para entender melhor, primeiro vamos definir exatamente o que é: o Ruin Porn – termo creditado para o fotografo e escritor James Griffioen – tem o objetivo de focar o declínio urbano de estruturas deterioradas, indo contra a cultura da sociedade atual em que o novo é sempre melhor.

Já existem alguns sites e grupos especializados que trocam experiências e marcam encontros para ir fotografar as ruínas, a exemplo do Ruin PornAbandoned America e Architecture of Doom.

O fotógrafo Camilo José Vergara se especializou em fotografias urbanas e o declínio de estruturas, principalmente em áreas periféricas. Vergara visita o mesmo prédio diversas vezes ao ano, para complementar suas fotografias, ele faz o uso de entrevistas e pesquisas.

Os principais cenários são cidades que passaram por grandes ondas de industrialização ou profundas crises financeiras, muitas delas estão localizadas nos Estados Unidos ou Europa. Mostrando também o abandono e o descaso de alguns locais em países de primeiro mundo.

Então você pensa, qual a polêmica em torno desse tema?

Alguns críticos acreditam que essa prática torna a restauração ainda mais difícil, já que o movimento romantiza as fotos o que acaba criando um fetiche e não promove a mudança, no caso a própria restauração.

Por outro lado, os defensores, na maioria os próprios fotógrafos, afirmam que a prática promove o turismo nas regiões divulgadas nos blogs e sites. E rebatem as críticas dizendo que esta é a chance de aproximar o planejamento arquitetônico da restauração, ou seja, as obras também devem ser planejadas com o declínio de sua estrutura a fim de facilitar o seu restauro.

Para os mais otimistas, o movimento ainda pode ser um ato de preservação das estruturas dando a merecida atenção às ruínas e apontando as falhas arquitetônicas.

 

10 dicas para tirar foto com celulares para levar na mochila

fotos com celular
fotos com celular
photo credit: Jordi Chueca via photopin cc

Na correria do dia-a-dia, fica impossível carregar uma câmera DSLR na bolsa ou na mochila,
Fora o risco de ser roubado, geralmente estas são grandes e possuem um custo alto, logo, não cabem no bolso da maioria pessoas.

Mas e o meu celular também tira foto?
Não tenho intenção em ser fotógrafo profissional, será que a câmera do meu celular quebra um galho?

Caso sua resposta tenha sido SIM para as 2 questões acima, vai algumas dicas de como conseguir boas fotos com seu celular. Independente do conhecimento técnico, pegue o celular e mãos a obra, isto é, dedos aos cliques.

1-      O dispositivo

Há muitos dispositivos no mercado, apresentaremos os mais acessíveis em termos de custo beneficio

Nokia Lumia 520

O Nokia Lumia 520 vem com um processador de dois núcleos de 1 GHz, Windows Phone 8 e tela sensível ao toque, que funciona até mesmo com luvas ou unhas.

design compacto
Nokia Lumia 520

A partir de  R$ 470,80

Smartphone Sony Xperia

Além da função Dual Chip, esse belo smartphone possui uma série de recursos para facilitar o seu dia a dia. Com Android 4.0, você poderá sempre se manter conectado e por dentro das novidades e ainda terá à disposição milhares de jogos e aplicativos, Wi-Fi, 3G, Bluetooth, câmera com 3.2 megapixels, Processador 1Ghz, GPS, HD Voice para melhorar a qualidade das suas chamadas, aplicativo para gerenciar o custo das suas ligações e muito mais!

smartphone
Sony Xperia

A partir de  R$ 470,80

GALAXY mini GT-S5570

O Samsung GALAXY mini apresenta grande produtividade e desempenho num design compacto, cheio de personalidade. Encorajado por uma faixa de cor vistosa na parte lateral, este smartphone mantém-no ligado a tudo o que interessa na sua vida.

galaxy-mini
Samsung Galaxy Mini

A partir de  R$ 382,41

2-      Pratique, pratique e continue praticando
O celular sempre está com você, não é mesmo?
Aproveite para tirar o máximo de proveito, tire foto de pequenos detalhes, paisagens e amigos, utilize-as de modo que consiga comunicar-se apenas através de um clique.

graffiti
photo credit: Aaron Nather via photopin cc

 

3-      Tire foto de perto ou arrisque uma foto ruim
Um problema das câmeras dos celulares é a falta de estabilização das fotos, ao utilizar zoom demais, a foto geralmente fica estremecida ou perde nitidez.
Busque sempre tirar fotos próximas, sem que tenha utilizar o recurso do zoom toda vez.
Como regra geral, fique a um ou dois passos do tema e tire algumas fotos para que possa escolher a melhor.

 

macro
photo credit: paurullan via photopin cc

4-      Fotografe sempre no nível dos olhos
Uma boa dica para conseguir uma boa foto, sem utilizar nenhum recurso da câmera. Ajuste a lente na altura dos olhos, para conseguir um close de um sorriso bonito ou um olhar encantador.

close
photo credit: OpalMirror via photopin cc

5-      Cuidados com a iluminação para não queimar o filme
Sem luz adequada, as chances de suas fotos ficarem ruins são grandes.
Procure ambientes bem iluminados, a luz do dia é um ótimo recurso para fotos impactantes e com cores vivas. Caso esteja desprovido de um ambiente aberto, certifique-se que há luz o suficiente para não ter dor de cabeça mais tarde.

 

foto-arte
photo credit: jazamarripae via photopin cc

6-      Buscar por um fundo simples é o mesmo que não correr riscos com objetos não identificados
Brincadeiras a parte, eis uma boa maneira de não errar na hora de fotografar, certifique-se sempre do fundo em que o tema será fotografado, evite árvores com galhos estranhos, objetos estranhos nas fotos e rótulos de marcas. Nem todos gostam de fazer publicidade gratuitamente.

fundo
photo credit: JaulaDeArdilla via photopin cc

7-      Brinque com os ângulos
Sabe aquela foto que você tirou com um tema centralizado?
Esqueça-a de uma vez por todas, tente tirar fotos em vários ângulos, vertical, horizontal e diagonal, compare as fotos e observe como é fotografar através de um novo olhar , procure aprender a regra dos terços, a qualidade da composição de suas fotos vai decolar, pode ter certeza!

foto
photo credit: Jiuck via photopin cc

8-      Defina resolução alta para as fotos e tenha mais qualidade
Se você pretende imprimir alguma fotografia, certifique-se de que esteja configurada com no mínimo 3MP, pois se a câmera estiver configurada no modo VGA, seu trabalho está perdido.

fotografia
photo credit: Putatriat via photopin cc

9-      Mantenha o tema parado ou morra
Parece brincadeira de mal gosto, mas ao clicar para tirar a foto, tente não tremer.
Pois se balançar, a foto ficará desfocada, isso quer dizer, foto com o motivo embaçado, logo sinônimo de foto ruim.

detalhes
photo credit: jampa via photopin cc

10-  Apps que podem salvar o rolê

HDR FX: De acordo com a descrição no Google Play, com os ajustes certos, é possível conseguir resultados profissionais, possivelmente semelhante a fotografias de câmeras profissionais HDR. Disponível para Android, e IOS.

ADOBE PHOTOSHOP EXPRESS – Permite cortar, colocar filtros, otimizar a imagem.
Disponível para Android e IOS.

INSTAGRAM – Além de ser uma comunidade de compartilhamento de fotos, o aplicativo permite que você ajuste suas imagens antes de compartilhá-las. Disponível para Android, IOS e Windows Phone


COLOR SPLASH FX
– Permite deixar áreas especificas da foto colorida ou PB. É um app que permite usar a imaginação e brincar com cores e texturas em um mesmo arquivo. Disponível para Android, IOS e Windows Phone.

Espero que com estas dicas, tirar fotos com celulares, seja algo mais fácil, prazeroso e  divertido.

O que você pode aprender sobre fotografia com Jasper James

design-artes-jasper-james

Múltiplas exposições para obter efeitos de silhuetas?
Será esta técnica utilizada pelo grande fotógrafo Jasper James?

design-artes
Jasper James

Um caminho de mão dupla para obter-se este feito, pois é muito experimental na fotografia, apesar de profissionais dominarem esta técnica com destreza, nem todos conseguem obter fotografias impactantes.
Entretanto A técnica do fotógrafo Jasper James, de Beijing/Londres, era sobrepor os retratos com as paisagens urbanas usando luz e um espelho refletor!

duofox-forma-projetos
Jasper James

Embora Jasper James possua técnica apurada em dupla exposição, nesta série chamada City Silhouettes, ele explora com olhar mais intimista, vários ângulos, através de jogos de luzes e espelhos, de forma que ilustre a silhueta das pessoas e as sobrepõem, em paisagens urbanas, perspectivas e  projeções antes nunca abordadas deste olhar, mais pessoal e menos fotógrafo.
Brincando com a curiosidade que possuímos, que com o passar do tempo perdemos. Mais um motivo para conhecer o trabalho deste grande fotógrafo clicando aqui.