Documentário A Arte do Papel – Fanzines

Salve, amigos! A partir desse instante está no ar uma campanha de arrecadação de fundos para o término de um documentário sobre a trajetória dos fanzines em nossa região. Este trabalho é realizado já algum tempo pelo Coletivo Z, Trem Cultural e Zineteca Glauco Villas Boas. A contribuição mínima é de R$10,00 com direito ao nome nos agradecimentos quando estiver pronto. Também há contribuições maiores e com direito a outras recompensas. Espero que todos possam colaborar e divulgar para os amigos. O objetivo desse DOC é garantir a difusão da arte dos fanzines em escolas e eventos culturais para que as novas gerações possam conhecer e ter contato com esse passado que ainda tem muito a ensinar.

Numa época em que a informação não era tão democrática como é hoje, algumas pessoas encontraram nos Fanzines uma alternativa viável para divulgar conteúdos de produção independente, como nos Vídeo Blogs de hoje em dia, porém em formato impresso.

Música, cinema, literatura, quadrinhos, entre outros temas eram organizados em revistas artesanais, com uma liberdade criativa e sem a interferência das grandes editoras, sendo assim um veículo em que a sinceridade nas publicações era o principal objetivo de quem os produzia.

Nesse contexto surgiram os fanzines na região da Alta Mogiana, interior de São Paulo, longe dos radares da capital. Personagens como Arnaldo Júnior, Angelo Davanço e pouco mais tarde, João Francisco Aguiar e Arnaldo Neto viveram intensamente parte dessa história e ainda hoje, além de produzir seus Fanzines, dedicam boa parte de seu tempo realizando oficinas e palestras em escolas públicas, eventos culturais e universidades sobre essa arte analógica e revolucionária em que o personagem principal é o papel.

Esse documentário busca revelar os bastidores e apresentar outros personagens que também fazem parte dessa história tendo como um dos objetivos principais gerar um material educativo para ser exibido em escolas públicas e privadas garantindo a preservação da memória e a sobrevivência dos Fanzines como forma de resistência ao longo do tempo.