A volta da Verdurada em grande estilo

     pogoDepois de um grande hiato de mais de um ano a Verdurada volta quebrando tudo.
Aliás o meu hiato de Verdurada é um pouco maior, a última que pude ir foi em 2008, onde tocaram Leptospirose, Ataque Periférico e DFC, DER e não consigo lembrar das outras bandas.
Fora a organização do coletivo Verdurada que é impecável e invejável, senti falta do Soy Burger que era vendido, aliás fui seco para comprar, mas infelizmente não foi vendido nesta edição, pois frequento a Verdurada desde 2002.

Mas valeu esperar o jantar que nunca havia conseguido esperar, por questões de transporte e local para ficar, já que somos do interior de SP. Sem estender muito, o novo espaço é bem legal e tem estrutura para uma galera.

O Set de bandas foi o ponto alto do festival, começando pelo Werewolf com seu som NY anos 80, empolgou pelo carisma e pela galera que cantavam as letras junto com o vocalista.


Na sequência Under Bad Eyes, que trouxeram de Curitiba-PR HC Old School com vocal melódico, tirando as pausas entre cada música, foi um ótimo show, com instrumental impecável.

Uma das estrelas da noite tocou em seguida, O Deserdados, com quase 20 anos de banda, iluminou o evento com seu Punk 77, carismáticos, repletos de energia (de fazer inveja a muita banda de moleques com 20 anos), ainda sim finalizaram com The Jam- In the City e Cólera – Somo vivos, que foi sensacional, com todos cantando em Coro.


Rolou também uma palestra do Movimento Passe Livre sobre a onda de protestos que aconteceram recentemente em nosso país.

Depois da palestra, avistamos  a estrela mais brilhante no céu, Sírius, da constelação de Cão Maior, esta estrela foi O Cúmplice, Já esperava muito do show, mas foi além do que imaginava, foi perfeito, é uma banda que faz uma junção de metal com HC sem soar o mais do mesmo, incrivelmente técnico, com viradas de bateria pesadíssimas, harmonias dissonantes muito bem construídas, repletas de texturas que remetiam ao Pink Floyd com Syd Barrett. O vocal do Marcelo incrivelmente compassado e conciso, sem dúvida foi ápice da noite.

Para finalizar o Punch da Califórnia derrubou a casa com seu Powerviolence extremamente furioso e agressivo, já estava com saudade das rodas que só existem na verdurada, Stage Dive ,Moshs e o pogo bonito que só sXe sabe fazer.

Apesar de ter falado sobre o Jantar anteriormente, o jantar foi excelente, fechando a noite com chave de ouro, espero que a Verdurada tenha vida longa e que possa voltar ao evento ainda inúmeras vezes. Agradecimentos ao coletivo Verdurada, por organizar um dos eventos mais bacanas de SP.