A Sangue Frio de Truman Capote, pioneiro no jornalismo literário!

  A literatura norte-americana para muitos “críticos”, pode parecer fora dos padrões de outras literaturas (européia e oriental), mas certamente estes julgamentos são, uma forma errônea de se pensar, visto que um número considerável de autores norte-americanos são mestre na arte da escrita. 

Quem foi Truman Capote? 

Truman Capote, um jornalista de Nova Orleans entra para o hall destes autores que fazem das palavras, uma arte, e no caso de seu livro mais famoso, A Sangue Frio, essa arte se torna ainda mais singular.
 

Capote era escritor sedento e exibicionista, dotado de uma memória que muitos apontam como absurda. Memória essa que em 1966, deu-lhe notoriedade com o lançamento de seu maior livro. O romance A Sangue frio.
 

A obra, classificada pelo próprio autor, como romance de não-ficção, traz uma reportagem de um dos crimes mais cruéis que o estado de Kansas já presenciou. Em 1959 a família Clutter, símbolo da bondade na cidade de Holcomb é brutalmente assassinada. A brutalidade e a forma como os crimes foram cometidos choca a população e a imprensa, e, ironicamente, desperta a atenção criativa de Capote.
 

Para contar essa trágica história, Capote utiliza de sua experiência e talento jornalístico e parte para a região da tragédia. Lá, munido de sua memória (afirmam estudiosos que ele não utilizava gravadores nem cadernos de anotações) e de seu poder de observação, Capote faz uma investigação, buscando informações preciosas e importantes para o entendimento de um crime que terminou para sempre com a tranquilidade da população local.

 

Truman Capote Portrait Session

Dick Hickock e Perry Smith, bandidos ou mocinhos?

O resultado dessa reportagem, feita pelo autor através de conversas com os moradores locais, policiais e com os próprios assassinos Dick Hickock e Perry Smith, é uma perfeita reportagem policial. A facilidade que Capote tinha de escrever e recriar a realidade impressiona. Ao longo das quase 450 páginas, o leitor é arrebatado por uma linguagem simples e direta, repleta de ação, descrições e crescente suspense, que não deixam o leitor frustrado em um só momento.
 

O mais curioso no talento de escrita de Truman Capote, é que “A Sangue frio” é um romance baseado em fatos veridícos. Porém, é construído com tanta perfeição que custamos a acreditar que algo tão cruel tenha sido contado de forma tão bela.

Diego Fernandes Escrito por:

Bebedor desenfreado de café e averso a picanha, Diego é desenvolvedor front-end e professor. É o fundador do Duofox. Na literatura não vive sem os russos Dostoiévski e Anton Tchekhov e consegue "perder" tempo com autores da terra do Tio Sam, Raymond Chandler e Melville. Acredita que a arte de maneira geral é a única forma de manter o ser humano pelo menos acordado, longe do limbo que pode levar a humanidade à Encruzilhada das Almas.

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *