Design x Publicidade. Todos ganham?

por Diego Fernandes de Oliveira

E começa o primeiro assalto, o juiz prepara os lutadores, pede para que estes sigam as regras, então inicia-se o combate.

Brincadeiras à parte, a luta entre design e publicidade é uma questão que nos inquieta, por não sabermos o motivo da existência simultânea de estúdios de design e agências de publicidade. Qual é a diferença entre ambos?

Digamos, a grosso modo que design faz o trabalho que informa e agências de publicidade fazem o trabalho que convence. Para definir esta diferença entre os dois tipos de empresas chegamos à conclusão, que os designers criam valor, enquanto as agências de publicidade vendem esse valor.

Como diria Alexandre Wollner, “o trabalho dos publicitários tem alto impacto e vida curta, enquanto o do designer tem baixo impacto e vida longa”.

E quem dá as cartas na criação de uma marca? Em alguns casos o designer, em outros  o publicitário e muitas vezes o próprio cliente.

Lucha_libre2

Todos ganham em um ringue de mascarados. Fonte: Wikipedia

Porém muitos ainda enxergam o “design” como uma espécie de arte decorativa (artesanato), por isso deixam de investir na “decoração de sua casa (produto)”.

Considerando que a publicidade é um “grande negócio” que não se preocupará muito com a “tipografia ou a sutileza da forma ou linha do produto” e o venderá de qualquer forma seja com embalagem feia ou logo mal feito. O que importa é a forma de se vender. Porque hoje todo mundo pode vender qualquer coisa – e isso certamente não é exagero.

Design e publicidade, portanto, caminham de mão dadas (na maioria das vezes) na construção das marcas. Há quem diga que um possui mais importância que o outro, porém não dá para se apoiar muito nesta afirmação, assim como o pedreiro não é mais importante que o eletricista ou o dentista mais que o ortopedista. Cabe ao cliente saber exatamente o papel de cada um e equilibrar estas 2 vias em prol do seu negócio.

E você? O que acha?

Diego Fernandes Escrito por:

Bebedor desenfreado de café e averso a picanha, Diego é desenvolvedor front-end e professor. É o fundador do Duofox. Na literatura não vive sem os russos Dostoiévski e Anton Tchekhov e consegue "perder" tempo com autores da terra do Tio Sam, Raymond Chandler e Melville. Acredita que a arte de maneira geral é a única forma de manter o ser humano pelo menos acordado, longe do limbo que pode levar a humanidade à Encruzilhada das Almas.