8 Motivos para assistir O Iluminado de Stanley Kubrick

Você já se perguntou porque deve assistir o Iluminado de Stanley Kubrick antes de morrer?
Abaixo você vai entender melhor porque este filme é tão aclamado

The shinning

1-Vamos começar pelo início, a sinopse do filme.

Durante o inverno, um homem contratado para ficar como vigia em um hotel no Colorado e vai para lá com a mulher e seu filho. Porém, o contínuo isolamento começa a lhe causar problemas mentais e ele vai se tornado cada vez mais agressivo e perigoso, ao mesmo tempo que seu filho passa a ter visões de acontecimentos ocorridos no passado.

2-Diálogos tenebrosos!

Os diálogos são lentos e apresentam pausas entre eles. Não são ritmados, aumentando ainda mais o sentimento de isolação, visto que além do vento os únicos sons são das vozes dos personagens.

3-A imagética dá nuances espetaculares ao filme.

As “imagens não reais” são elementos que mostram qual o grau de loucura que cada personagem está exposto, desde as conversas que Jack tem com Lloyd, Grady, a mulher no banheiro, até as visões de Danny com as gêmeas, a mulher na banheira, a cena famosíssimas do elevador que abre as portas e jorra um rio de sangue que vai levando dos os objetos.

twins

4-Trilha sonora é de dar calafrios!

Esplêndida! A trilha sonora assustadora nos ambienta para o clima de “O iluminado”. A trilha consegue pontuar perfeitamente as cenas. A música é forte com uma cadência que vai aumentando a cada passo dos personagens, dando a impressão de que tudo é grande e intimidador, sobrando assim somente os personagens com elemento fraco e frágil. Também temos quando Danny passeia de triciclo pelo Hotel e alterna entre o alto barulho dos tacos de madeira e o silencio absoluto do tapete.

5-Enquadramentos e ângulos de filmagem que só poderiam ser do Stanley Kubrick.

Todos os planos são mostrados “The Shining”.

Grandes planos gerais: São identificados quando a família está indo para o hotel, onde mostra a estrada, as montanhas e carro, temos em outros momentos onde mostra a família admirando o hotel, em algumas cenas internas, no salão principal, apresentando a magnitude do ambiente comparado aos personagens.

Plano geral: aparece nas cenas, onde um funcionário do Overlook (Bill) apresenta o hotel aos Torrance, e algumas cenas onde o menino está sozinho pelos corredores. Temos a cena onde aparece as gêmeas no corredor pedindo para Danny brincar com elas.

Plano Médio: já não aparecem com muita frequência, esse plano se dão em diálogos no início do filme entre Jack e seu empregador, na conversa da família com o cozinheiro e outras cenas no decorrer do filme.

Primeiro plano: Esse plano é dedicado a Jack e as cenas de suspense enfatizando o terror crescente nos personagens. A cena onde Jack diz: “Here’s Jonnhy?” é a que pode expressar muitíssimo bem esse plano.

Plano de detalhe: não foi muito usado, pois a ideia principal era fazer o local intimidador, para tanto as tomadas deveriam mostrar sempre o Overlook como gigantesco comparado a “insignificante” família, o plano de detalhe fica para alguns poucos momentos onde Danny esta aterrorizado.

A angulação das cenas do corredor é baixa, apresentado a perspectiva já citada no “enfoque de câmera”; os movimentos de câmera são secos e lentos, apenas nas panorâmicas apresenta giros de câmeras, a câmera apenas acompanha o movimento do personagem mostrando assim a profundidade do campo. Em todo filme a câmera sempre compara a proporção dos personagens com hotel.

Vemos apenas uma cena onde a ação e câmera são acompanham, ao final do filme quando Danny corre no labirinto a câmera acompanha freneticamente a corrida, casando assim um desespero.

assassinato

6-O que dizer de um diretor que era fotógrafo? A fotografia só poderia ser estonteante.

Fotografia branca, limpa, reflete a loucura e o vazio de Jack, isolado naquele hotel. Kubrick utilizou muitas luzes nas enormes janelas para criar um visual que aumentasse esta sensação.

Com o passar do tempo e o aumento da loucura de Jack, a fotografia vai escurecendo, se tornando menos nítida, até finalmente se tornar fria, em tons azulados, com a neve atrapalhando completamente a visão, num reflexo do atordoado estado mental dele.

Os cenários coloridos e incrivelmente iluminados (tapetes e paredes coloridos, luminárias e janelas enormes e reluzentes) criam um ambiente intimidador e praticamente com vida. O tapete laranja, vermelho e marrom, em Danny brinca com carrinhos antes de ver a porta 237 aberta, tem um efeito hipnótico, nos levando pra dentro do quarto junto com ele quase que inconscientemente.

Outro exemplo é o banheiro onde Jack e Grady se encontram e tem um diálogo, que propositalmente é colorido em vermelho e branco, simbolizando o sangrento caminho que Grady influenciaria Jack a seguir. Na profundidade vemos a cena onde o diretor nos coloca na posição do garoto e, portanto, vulneráveis a qualquer perigo que possa aparecer.

wife

7-As personagens em busca do sonho americano.

Os personagens são pessoas comuns com anseios cotidianos: uma boa vida, um bom salário e um bom relacionamento entre eles.

Pensam de forma distintas, Wendy tem anseios de conseguir estabilizar seu relacionamento com o marido e ter maior aproximação do filho, é uma mulher vulnerável e fraca, não tem postura para se impor diante do marido, mas cria uma esperança de que o marido seja mais presente.

Jack, um tanto mais ambicioso e arrogante não tendo sucesso em seus projetos antigos anseia escrever um novo livro, não prioriza quais a necessidades de sua família.

Danny como uma criança introvertida, sente isolado e ao mesmo tem protegido em seu mundo, tem dificuldades de se enturmar com outras crianças, isso se formou pelas atitudes agressivas do pai.

8-Subjetividade é convidativa e explana de forma enriquecedora o trama psicológico

O filme é totalmente psicológico, aborda os anseios de uma família em busca da melhora de um convívio, acreditando que em lugar distante poderá haver mudança.

Mostra também o lado oculto de cada ser humano, a bestialidade que possuímos que por um momento nos escapa. E temos a crítica social ao modelo de uma família, aparentemente feliz e sem problemas (imagem apresentada por Jack a seu contratante (Sr. Ullmann).

jack

The shinning:

Francine Oliveira Escrito por:

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *