A arte da ficção de David Lodge | 50 artigos sobre contar histórias

A Arte da Ficção de David Lodge é uma coletânea de artigos publicados, nas páginas literárias do Independent on Sunday e  Washington Post. Traduzido por Guilherme da Silva Braga e publicado no Brasil pela editora L&PM Pocket, em 2011.

The Art of Fiction, nome dado a coluna semanal de David Lodge, transformada em livro homônimo, traz trechos de romances e contos, clássicos ou modernos, de autores ingleses e americanos, utilizados por Lodge para exemplificar características da narrativa de ficção.

É um livro bem intuitivo, explica a cada capítulo um elemento diferente das narrativas. David Lodge faz uso de sua experiência como professor e escritor, deixando o leitor mais a vontade em novas possibilidades de leitura.Para os escritores funciona como um “sapato velho”, bom e confortável.Com dicas de escrita imprescindiveis para escritores iniciantes.

Sobre David Lodge

David Lodge é um grande romancista e acadêmico britânico.Na década de 60, estreou na literatura com o romance The Picturegoers. De 1960 a 1987, lecionou literatura de língua inglesa na Universidade de Birmingham. Publicou vários livros sobre literatura e foi prolífico na escrita de livros de ficção.. Suas obras receberam diversos prêmios, e os romances Small World (1984) e Nice Work (1988) foram finalistas do Booker Prize.

 

Do que se trata o livro, A arte da ficção de David Lodge?

Lodge é abrangente ao falar sobre as técnicas de escrita e texto narrativo, como o efeito de breaking frame (quebra de cena), suspense,  pontos de vista, paralelismo, mistério, nomes, fluxo de consciência, estranhamento, monólogo interior, ambientação, personagens, surpresa e manipulação temporal.

David também comenta sobre  alguns tipos de  romances, como o romance cômico, romance experimental, romance epistolar, narrativa superficial,  realismo mágico, romance histórico, romance surrealista e romance de não ficção.

Entre os escritores citados no livro, A Arte da Ficção estão: Henry James, Jane Austen, Charles Dickens, T. S. Eliot, Graham Greene, James Joyce, Vladimir Nabokov, George Orwell, Tom Wolfe e J. D. Salinger.

David Lodge, finaliza o livro reforçando que o importante é saber dosar os ingredientes na hora escrever, existem muitas técnicas e ferramentas das quais o escritor pode fazer uso, mas que se utilizadas de forma equivocada, podem causar uma tragédia e não um romance. Sem a intenção de ser um manual prático de consulta, mas de grande utilidade para leitores ávidos e escritores que precisam de um norte, na hora de estruturar seu romance.

Diego Fernandes Escrito por:

Bebedor desenfreado de café e averso a picanha, Diego é desenvolvedor front-end e professor. É o fundador do Duofox. Na literatura não vive sem os russos Dostoiévski e Anton Tchekhov e consegue "perder" tempo com autores da terra do Tio Sam, Raymond Chandler e Melville. Acredita que a arte de maneira geral é a única forma de manter o ser humano pelo menos acordado, longe do limbo que pode levar a humanidade à Encruzilhada das Almas.

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *