Banda Afeto Clandestino estreia com clipe “Princípio do Absurdo”

Depois de estrear com o single “Cortês”, a cantora e compositora carioca Beatrice se reinventa com o trio Afeto Clandestino ao lado do produtor e guitarrista Diogo Sarcinelli e do cantor e compositor Paulo Domingues. O grupo estreia com o clipe e single “Princípio do Absurdo”, apresentando sua mescla de blues e pop e antecipa o EP da banda.

Assista ao clipe “Princípio do Absurdo”: https://youtu.be/clYNvG2nnIM
Ouça “Princípio do Absurdo”: https://li.sten.to/AfetoClandestino

O primeiro clipe de Afeto Clandestino faz um relato íntimo de um processo de saúde que se estendeu por meses, entoando desde o primeiro verso a necessidade de romper ciclos e clausuras, abrindo caminhos. “Deixa eu decidir a minha vida, porque eu tô desesperada, enquanto eu me aposso desse sonho que parece uma migalha”, canta Beatrice em um clamor por recomeço e um convite a olhar para si.

“‘Princípio do Absurdo’ é um grande mergulho nas paredes da mente, espelhando um corpo em dissonância. A letra se forma como um grito de exaustão de um corpo que busca voltar a se sentir em equilíbrio consigo, mesmo que signifique perder e se indignar pelos processos que não temos controle. É sobre assumir o caos e refazer-se, outra vez”, resume a cantora.

Mirando no futuro, Afeto Clandestino começa a revelar as faixas produzidas, mixadas e masterizadas em A Casa Estúdio, com produção musical do próprio guitarrista e compositor Diogo Sarcinelli. Nos vocais, Beatrice e Paulo Domingues dividem as interpretações das canções autorais, que falam de amor, tesão, incertezas e revoltas, costurando esse passeio entre Beatrice e Afeto Clandestino.

A estreia de “Princípio do Absurdo” marca esta nova fase e se materializa no dia 14/10, às 20h, em um show no Palco Virtual do Itaú Cultural, para celebrar o encontro poético desses dois projetos artísticos. No repertório, estarão as canções de Beatrice – do EP “Vingança” – mescladas às do EP de estreia do Afeto Clandestino, a ser lançado em breve. A formação completa inclui os músicos convidados Filipe Barbosa (bateria) e Vinicius Velloso (baixo) e a apresentação terá entrada gratuita via Zoom, mediante retirada de ingresso no site do Itaú Cultural.

“Queremos contar uma história que mescle estética (figurino, audiovisual, fotografia) e experiência  sonora, no que chamamos de pop experimental. Afeto é um convite para entrar na nossa sala de estar:  sente-se e conecte-se com a sensibilidade particular destes três artistas”, convidam os músicos.

Assista ao clipe “Princípio do Absurdo”: https://youtu.be/clYNvG2nnIM
Ouça “Princípio do Absurdo”: https://li.sten.to/AfetoClandestino

Serviço do show:

Beatrice + Afeto Clandestino
Data: 14/10/2021
Horário: 20h
Local: Zoom
Ingressos: Gratuitos mediante retirada no site Itaú Cultural
Ficha técnica:
Clipe:
Roteiro: Afeto Clandestino e Sede do movimento
Direção: Carlos Fontinelle
Direção de Imagens: André Adami
Still e making of: Julia Bimi
Direção de Arte: ExperiEndrigo
Iluminação: ExperiEndrigo
Figurinos: Atelier Carlos Fontinelle
Visagismo: Alexandre Paixão
Maquiagem: Stephane Carvalho
Produção executiva: Afeto Clandestino e Sede do Movimento
Comunicação: Build Up Media
Capa e designer do single: Gabriella Ribeiro
Parceria: A Casa Estúdio e Sede do Movimento
Elenco: Beatrice, Diego Endrigo, Diogo Sarcinelli, Paulo Domingues
Música:
Autores: Beatrice, Diogo Sarcinelli e Paulo Domingues
Produção Musical: Beatrice, Diogo Sarcinelli e Paulo Domingues
Engenharia de som: Diogo Sarcinelli @ A Casa Estúdio, RJ
Mixagem e masterização: Diogo Sarcinelli
Baixo e guitarra: Diogo Sarcinelli
Bateria: Filipe Barbosa
Violinos e viola: Dhyan Toffolo
Violoncelo: Mateus Ceccato
Agradecimentos: A Sede do Movimento, Casa Estúdio, Carol Pitzer, Dani Ramalho, Dhyan Toffolo, Filipe Barbosa, Gabriella Ribeiro, Isabela Espindola, Julia Bimi, Lucimar Torres, Leandro Leal, Mateus Ceccato, May Bandeira, Stephane Carvalho e Vanessa Damasco.
Produzido na Casa Estúdio, RJ e filmado na Sede do Movimento – Rio Comprido, Rio de Janeiro, 06 de agosto de 2021.

Diego Fernandes Escrito por:

Bebedor desenfreado de café, Diego é desenvolvedor front-end e professor. É o fundador do Duofox. Na literatura não vive sem os russos Tolstói, Dostoiévski e Anton Tchekhov e consegue "perder" tempo com autores da terra do Tio Sam, Raymond Chandler e Melville. Acredita que a arte de maneira geral é a única forma de manter o ser humano pelo menos acordado, longe do limbo que pode levar a humanidade à Encruzilhada das Almas.

seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.