Carmel: Quem matou María Marta? – O mais novo mistério para amantes de true crime

Aproveitando a onda de sucesso do gênero true crime, estreou em novembro na Netflix “Quem Matou Maria Marta?” uma minissérie documental em 4 capítulos sobre o crime que chocou a sociedade argentina em 2002: o assassinato da milionária Maria Marta García Belsunce.

O que esse crime teve de tão especial?

  1. O cenário: Maria Marta foi assassinada dentro de um condomínio de alto padrão na região metropolitana de Buenos Aires. O típico caso do quarto fechado de romance policial: o assassino não poderia ter entrado ou saído sem ser visto e tinha que estar entre moradores ou funcionários.
  2. Perguntas. Muitas perguntas. Aliás, se você é do tipo que não gosta de perguntas sem respostas já aviso: esse caso não é para você. Embora algumas pessoas tenham sido julgadas, condenadas e absolvidas, existem várias versões do que realmente teria acontecido aquela noite.
  3. A família: Carlos Carrascosa – marido da vítima, Guillermo Bártoli – cunhado, Horácio e Juan – irmãos de Marta- tiveram um papel fundamental ao atrapalhar as investigações sobre o crime. Por que? Bom, esta é uma das primeiras perguntas sem resposta.

Afinal quem era María Marta?

María era uma mulher da alta sociedade que dedicava sua vida a uma fundação chamada “Missing Children”: uma organização que buscava encontrar crianças desaparecidas além de denunciar seqüestro e tráfico infantil.

O que aconteceu com ela?

Em um domingo chuvoso, Carlos Carrascosa encontrou seu corpo parcialmente mergulhado na banheira e muito, muito sangue espalhado. Alegando achar que se tratava de um trágico acidente – Maria havia se afogado após escorregar e bater a cabeça na banheira – Carlos retirou o corpo, ligou para a família e só depois lembrou de ligar para a ambulância. Achou estranho? Calma que piora!

Alegando não querer chocar os pais da vítima com aquela cena, Carlos, o cunhado (Bártoli) e uma funcionária lavaram todo o banheiro onde o corpo foi encontrado…

De alguma forma que só muita negligência pode explicar, ninguém achou que se tratava de um crime e Maria Marta foi enterrada sem passar por nenhuma perícia médica/policial. Foi só quando o irmão apresentou a certidão de óbito apontando a causa da morte como “falência cardiorrespiratória não traumática” o promotor do caso começou a desconfiar que havia alguma coisa de errada na história.

E tinha muita coisa errada.

Foi decretado a autópsia do corpo e o legista descobriu que Maria Marta havia levado seis tiros na cabeça. Maria recebeu atendimento médico, como é que ninguém reparou? Não havia nada que pudesse ter indicado que se tratava de um assassinato?? Perguntas, sempre elas.

Não vou dar muito spoiler aqui, mas: alguém reparou que não tinha sido acidente. Por que ninguém ouviu? E sim, havia um pequeno projetil que foi jogado no vaso sanitário por uma das testemunhas que achou que aquele pedacinho de metal não era importante. Surreal.

As muitas perguntas:

Maria teria sido assassinada e sua família teria encoberto seu assassino? Maria teria descoberto alguma coisa grave e foi morta por queima de arquivo? Maria teria tido a infelicidade de chegar em casa durante um assalto e foi morta porque reconheceu o bandido? Teria sido um funcionário, um vizinho? O promotor foi negligente ou se encantou demais pelo holofote e deixou de buscar a verdade? Assista a série e tente encontrar respostas.

Ah! Aceitamos sugestões de teorias nos comentários.

# Abutres não ouvem Jazz – Ep.26 – True Crime

 

Fabiana C. Escrito por:

Blogueirinha dos anos 2000

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *