Fernando Mascarenhas lança Dia 37 e dá início à divulgação de Dizperto

Santa Tereza, bairro clássico de Belo Horizonte, conhecido reduto da boemia, onde nasceu o Clube da Esquina, é onde mora o cantor e compositor Fernando Mascarenhas, que se prepara para o lançamento do seu primeiro álbum, Dizperto. Envolto pela atmosfera introspectiva provocada pelo período da pandemia, no trigésimo sétimo dia de confinamento compôs a faixa Dia 37, que lança hoje (12) em todas as plataformas streaming. Ouça aqui.

Dia 37 lembra as canções de seu conterrâneo Lô Borges, e Fernando conta que a letra veio como um desabafo sobre a solidão, sobre a distância e a vontade de estar perto das pessoas que ama. “Tentei deliberadamente descrever o que se passava comigo no momento, me valendo de metáforas e figuras de linguagem para que a música não ficasse presa no tempo e não fosse sobre a pandemia, mas sobre estar só, sobre a lida com a própria solidão, condição inerente ao ser humano”, conta.  

Já o refrão é uma homenagem a uma das grandes influências do artista, o membro fundador da banda Os Mutantes, Arnaldo Baptista (qualquer semelhança com “Dia 36”, não é mera coincidência). “O deslocamento temporal que a canção mutante causa em mim, de um calendário estendido, de espera e no final das contas, de um dia perdido no tempo, faz parte da essência de dia 37, sem dúvidas”.

E ainda revela uma curiosidade da faixa: “enquanto trabalhávamos no arranjo, minha namorada escutava uma coletânea de jazz na cozinha. Certo momento saí do estúdio e a porta ficou entreaberta, foi quando escutei, simultaneamente, a guia de Dia 37 e um fraseado de guitarra do Wes Montgomery, no mesmo tom. As faixas se misturaram de um jeito muito interessante. Decidi confiar na sincronicidade e refizemos todos os fraseados de guitarra da música inspirados por aquele acontecimento. O solo final de Dia 37 foi feito com uma guitarra semiacústica, com timbre e intenção mais jazzy, introduzindo a influência do jazz num contexto mais pesado, quase flertando com o metal. Soou tão inusitado que nos conquistou na primeira audição”.

OUÇA AQUI

FICHA TÉCNICA

Composição: Fernando Mascarenhas
Produção: Fernando Mascarenhas e Yuri Lopes
Mixagem: Yuri Lopes e Fernando Mascarenhas
Masterização: Emastered

Músicos presentes na gravação:
Fernando Mascarenhas: Voz, Guitarra Base, Baixo, Violão, Bateria Eletrônica
Yuri Lopes: Guitarra Solo e Caxixi

Foto: Dolores Orange
Design:  Matheus Ferreira

LINKS
Instagram
Youtube
Facebook
Spotify

SOBRE FERNANDO MASCARENHAS

Fernando Mascarenhas é mineiro, cantor, compositor e multi-instrumentista. Após ter participado de diversas bandas, inicia sua carreira solo em 2015 com o EP Ascensão & Queda. Os anos seguintes foram marcados por lançamentos de singles como Festa, bolo, velas e palmas (2017) e Espera (2020). Seu primeiro álbum, Dizperto, será lançado em 2021 e contará com 14 faixas de sua autoria.

Diego Fernandes Escrito por:

Bebedor desenfreado de café e averso a picanha, Diego é desenvolvedor front-end e professor. É o fundador do Duofox. Na literatura não vive sem os russos Dostoiévski e Anton Tchekhov e consegue "perder" tempo com autores da terra do Tio Sam, Raymond Chandler e Melville. Acredita que a arte de maneira geral é a única forma de manter o ser humano pelo menos acordado, longe do limbo que pode levar a humanidade à Encruzilhada das Almas.

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *