Literatura de rua – Churumi e Peixes Fritos no kandangos

Não importa se você não gosta de ler ou ainda prefere não ouvir o que os filósofos de bar tem a dizer.Mas na escola da vida, aprendemos inúmeras lições.A lição que aprendemos ontem foi… Não importa o quão precário seja o rolê, se houver amigos reunidos provavelmente será bacana.

A dificuldade para conseguir o equipamento de som, foi uma epopéia digna de Ulisses, inúmeras viagens de carro para conseguir reunir bateria, amplificadores e microfone.Detalhe irrelevante, para muitos que nunca organizaram um show, por menor que seja.Sempre é trabalhoso…

Problemas técnicos resolvidos, os garotos do Peixes Fritos foram o “abre alas” do evento.Com uma apresentação muito raçuda, com direito a cover maroto do Nirvana.Sempre detonando…

peixes-fritos

Churumi fechou com um setlist rápido e bem pesado, destaque para execução das canções e improvisos divertidos.Foi um evento repleto de empecilhos, mas no final da história, deu certo e a galera estava reunida conversando, assistindo, rindo.Realmente, não importa o quão precário seja o rolê, se houver amigos reunidos provavelmente será bacana.

churumi

Aguardamos o próximo evento no kandangos e que seja tão bom quanto este.Churumi e Peixes Fritos no kandangos foi incrível.

Diego Fernandes Escrito por:

Bebedor desenfreado de café e averso a picanha, Diego é desenvolvedor front-end e professor. É o fundador do Duofox. Na literatura não vive sem os russos Dostoiévski e Anton Tchekhov e consegue "perder" tempo com autores da terra do Tio Sam, Raymond Chandler e Melville. Acredita que a arte de maneira geral é a única forma de manter o ser humano pelo menos acordado, longe do limbo que pode levar a humanidade à Encruzilhada das Almas.

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *