MADÚ canta o nascer de uma paixão no single e clipe “(não) quero falar de amor”

A jovem cantora e compositora carioca MADÚ segue revelando suas primeiras canções autorais com uma série de singles que conquistam centenas de milhares de audições nas plataformas de streaming. A inédita “(não) quero falar de amor” é o primeiro gostinho do EP de estreia da artista, com faixas sendo reveladas ao longo de todo o ano de 2021. O novo single ganha um clipe, já disponível no YouTube.

Ouça “(não) quero falar de amor”: https://smarturl.it/naoquerofalardeamor
Assista ao clipe “(não) quero falar de amor”: https://youtu.be/9bRUP76qKIs

Depois de surgir no cenário do pop nacional em um feat com Deco e Kadu no single “Jeito de Olhar”, MADÚ revelou as autorais “Mais de Mim” e “Já Foi”, além de mais parcerias: “Já Passou da Hora”, com Baby V e Zanardi, e a viral “O Jeito Que Cê Faz”, cantando ao lado de Becca Perret, Tainá Seabra, Daniel Cruz, Tibí e Calena. Agora, ela abre uma nova fase da carreira.

Com “(não) quero falar de amor”, MADÚ versa sobre o início de uma possível paixão e o estado de negação de um amor. A canção é a primeira de quatro partes de seu EP, cuja narrativa se debruça sobre as fases de um relacionamento: flerte, paixão, apego e amor. Trazendo uma atmosfera romântica e sensual para o vídeo, a cantora une elementos mitológicos e místicos, com personagens como a deusa Afrodite e símbolos como a maçã do amor oferecendo leveza para abordar o tema.  

“‘(não) quero falar de amor’ fala sobre conhecer uma pessoa e não estar querendo ‘ceder’ . É quando você sente que bateu uma conexão diferente, ainda tá com um pé atrás pra se envolver… mas no fim acaba cedendo! É aquela fase inicial, sabe? Ela é a primeira faixa do meu EP e traz esse ar sexy, porque no início de qualquer relação esse lado fala mais alto do que o sentimento, que ainda está sendo construído”, conta a artista.

MADÚ faz da sua música um livro aberto sobre relacionamentos, sentimentos e dilemas atuais, tudo amarrado pela sonoridade do R&B e do pop. Com apenas 20 anos, a artista se dedica a aulas de canto desde a infância e se apresenta desde os 12 anos. Em 2019, começou a postar vídeos de covers em seu perfil do Instagram e, no ano seguinte, realizou lives e foi semifinalista no concurso de música da Rádio Mood. 

2021 trouxe o primeiro single solo de MADÚ e inaugurou uma trajetória de ascensão nas plataformas de música, mesclando presença em playlists editoriais e centenas de milhares de audições. Em maio, MADÚ deu o pontapé inicial ao projeto Flow RnB, criado com o produtor musical Gabriel Salles com o objetivo de unir artistas locais da cena de R&B e pop no Brasil. 

Agora com “(não) quero falar de amor”, MADÚ antecipa seu EP de estreia como o primeiro passo de uma carreira que já chama atenção. A faixa está disponível nas principais plataformas de música e o clipe, no canal de YouTube da artista.

Ouça “(não) quero falar de amor”: https://smarturl.it/naoquerofalardeamor
Assista ao clipe “(não) quero falar de amor”: https://youtu.be/9bRUP76qKIs

Ficha técnica

Composição – MADÚ, Lary e Bárbara Dias
Arranjo vocal – MADÚ e Gabriel Salles
Produtor musical – Gabriel Salles
Músico (teclado) – Gabriel Salles
Mixagem – Filipe Soares
Masterização – Gabriel Lucchini
Selo – Arca
Estúdio – Fibra
Distribuidora – Believe Digital
Roteiro – MADÚ
Fotografia – Nathalia Augusto
Artes – Gustavo Stefano
Filmagem – Yani
Direção geral – Yani
Diretora criativa – Bruna Amora
Locação – OI FUTURO musehum / Bark Studio
Beauty – Clara Giffoni
Stylist – Alice Deveikis

Letra:

Nem sei bem o que eu to fazendo aqui
Mas foi só te olhar que eu gostei do que eu vi
Todo rabiscado, pescoço e o braço
Alvo fácil de me encaixar
Eu passo, te amasso
Se você deixar
Só preciso saber
Quando um não quer, dois não brincam
Mas eu to brincando de querer você
Só preciso saber que a gente vai fazer
Olhando pro mar
Deixa a onda levar
Faz o tempo parar
Não precisa pensar
Eu não quero falar de amor
Só deixa ser o que for
Que eu posso até me acostumar
Eu sei que você
Quase sem querer
Fez alguma coisa acontecer comigo
E tão de repente
Meu corpo já sente que talvez ate de pra tentar
E ser diferente

Diego Fernandes Escrito por:

Bebedor desenfreado de café, Diego é desenvolvedor front-end e professor. É o fundador do Duofox. Na literatura não vive sem os russos Tolstói, Dostoiévski e Anton Tchekhov e consegue "perder" tempo com autores da terra do Tio Sam, Raymond Chandler e Melville. Acredita que a arte de maneira geral é a única forma de manter o ser humano pelo menos acordado, longe do limbo que pode levar a humanidade à Encruzilhada das Almas.

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *