O violino de Auschwitz, ótima leitura para o fim de semana

Maria

Para quem gosta de filmes e histórias sobre a Segunda Guerra Mundial, O violino de Auschwitz, da espanhola Maria Àngels Anglada é uma ótima pedida.

Essa bela e rápida narrativa tem início após um concerto de homenagem a Mozart, em que dois amigos, músicos e violinistas se esbarram e dão início a um curto diálogo. Durante esse encontro, o que mais chama atenção, é o enigmático e belo violino, de traços rústicos, e que produz um som quase divino. Curioso, devido ao som do instrumento ser superior aos demais, o personagem central, cujo caráter é construído em pequenos fragmentos, parte em busca de mais informações sobre o misterioso violino. A partir daí, conheceremos a vida de Daniel, um prisioneiro dos campos de concentração nazista.

Através do relato comovente de Daniel, construído numa linguagem simples e ágil, o romance nos faz recordar as provações sofridas pelos presos dentro dos cruéis sistemas prisionais de Hitler.

Daniel é um jovem construtor de violinos, e tem à sua volta a fome, a violência e o ódio nazista. A princípio, sufocado pelo regime destruidor da war machine alemã, Daniel realiza todo tipo de trabalho que os soldados do campo lhe impõem, sem questionar.

Porém, numa noite, um comandante do campo, que aprecia música e conhecido por seu extremo sadismo, descobre o talento de Daniel e lhe propõe um desafio peculiar. Construir um violino superior ao lendário Stradivarius.

Diante da proposta, que não poderia recusar, o humilde artesão se lança de corpo e alma na construção do instrumento. O que Daniel não se dá conta nessa empreitada, é que sua vida depende de uma absurda e doentia aposta. Caso consiga construir um violino extraordinário, será poupado. Caso contrário, será entregue ao “médico-cirurgião” do campo para experiências em que a maioria dos prisioneiros falece em condições desumanas e de grande sofrimento.

O violino de Auschwitz é uma história curta, que pode ser lida numa tarde. Porém, a brevidade dessa narrativa engana, pois fará com que o leitor perceba como o amor à arte, a persistência e a esperança, podem transformar a vida de uma pessoa.

O violino de Auschwitz pode ser comprado no site da Toplivros, confira.

 

Felipe Terra Escrito por:

Professor e amante da arte literária, atua na área da educação desde 2011. Viciado na música de Bach, Mozart e Chet Baker, e na literatura de Raymond Chandler, Ross Macdonald e Paul Auster. Ama escrever e acredita que poderia ler mais, porém, precisa dormir, infelizmente. Consegue passar horas jogando pôquer ou xadrez com os amigos. Degustar pizzas de queijo e bacon é um dos passatempos prediletos em horas de fome extrema.

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *