Comandante 22 lança disco com referências ao surrealismo

O álbum 22 do duo carioca Comandante 22 é mais um lançamento da Abraxas Records, com uma capa que traz influências da arte surrealista de 22.

Ouça aqui: https://onerpm.link/Comandante22.

Comandante 22, em 2022 é a junção do surrealismo moderno e tudo que o rock pode oferecer: Guitarra, Bateria e Baixo. Riffs, pontes, refrões instigantes e enigmáticos para serem tocados ao vivo.

Agora, no entanto, o duo carioca é um trio – surreal, não? – nas apresentações, com o talentoso jovem Bauer França no baixo.

O novo álbum teve 2 anos de gestação e foi construído em uma realidade de pandemia em que continuar os encontros para o projeto significava até certo risco de vida, coragem para seguir em frente nos tempos mais surreais da história da Comandante.

“22” traz 7 canções e tem como conceito o surreal contemporâneo da irrealidade. Para este trabalho, o duo virou trio e convidou Bauer França, que gravou baixo em todas as faixas, Selva Rubens que compôs e gravou guitarra em “ET”, e Anderson Coutinho, que além de gravar teclados em “Boogie 2”, “Desperato” e “Rock n Roll”, gravou órgão em dois interlúdios, os “Palmerludios”.

A pós produção do disco ocorreu sob os cuidados de Francisco Patitucci que contribuiu muito para a finalização do trabalho.

A arte feita para capa provoca uma sensação instigante e enigmática no espectador cheia de significados subjetivos. Assim, a obra causa uma experiência de ilusão de ótica com imagens revelando tanto um acidente de percurso na iminência de ocorrer, em uma estrada invertida, como ao ampliar a visão para o todo, em outra imagem, o verdadeiro significado daquele evento.

Quanto aos elementos surrealistas que aparecem na arte final: O Veado Ferido˜ de Frida Kahlo alvejado por flechas atravessa a rua, sua face está encoberta por uma maçã. A maçã, diferentemente da maçã de Magritte, está mordida mas também encobre a face, teria sido esta mordida pelo pecado original? Relógios derretem em alusão ao tempo e a sua subversão por Dali, os anos que passaram em cadência diferente do que estávamos acostumados, dias e noites sem padrão cronológico.

A banda Comandante 22

Formado há 7 anos pelo guitarrista Bernar Gomma e Punk Marciano na batera, o projeto se apresenta num formato despretensioso e simples mas altamente denso.

A atmosfera musical do grupo é criada e desenvolvida com a grandeza do minimalismo.

Após produzir e lançar o EP “Alguma Coisa Que Cai” (2018), o single “Boogie Solitario” (2019), o álbum “Transe” (2019) e ter tocado por todo Rio de Janeiro, SP e Minas Gerais, a dupla apresenta seu novo álbum “22”, apostando nas composições próprias e na dinâmica trabalho em conjunto, buscando simplicidade e verdade no som.

Gravado no estúdio Cia dos Tecnicos por Ranier.
Pós Produção por Francisco Patetucci
Arte da capa por Punk Marciano e Bernar Gomma

Guitarra e voz: Bernar Gomma
Bateria: Mario Braune
Teclas: Anderson Coutinho
Baixo: Bauer França
Guitarra em ET: Selva Rubens

Diego Fernandes Escrito por:

Bebedor desenfreado de café, Diego é desenvolvedor front-end e professor. É o fundador do Duofox. Na literatura não vive sem os russos Tolstói, Dostoiévski e Anton Tchekhov e consegue "perder" tempo com autores da terra do Tio Sam, Raymond Chandler e Melville. Acredita que a arte de maneira geral é a única forma de manter o ser humano pelo menos acordado, longe do limbo que pode levar a humanidade à Encruzilhada das Almas.

seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.