Jona Poeta faz reflexão pop sobre arrependimentos e se despedir do passado no single “Nome na Lista”

Após dialogar com o passado no single “Beijos sem sabor”, o cantor e compositor Jona Poeta revela o próximo capítulo da narrativa de seu primeiro EP com a inédita “Nome na Lista”. Se entregando nas canções como quem abre as páginas da própria história, o artista olha para o futuro após a despedida de um relacionamento. A nova música já está disponível nas plataformas de streaming.

Ouça “Nome na Lista”: https://smarturl.it/NomeNaLista

Assista a Jona comentando sobre “Nome na Lista”: https://youtu.be/Lmk0JBqBi6g

Se em “Beijos sem Sabor” Jona imagina uma conversa com o ex e expõe dúvidas, questões e argumentos que o narrador teria com quem já não está mais na sua vida, em “Nome na Lista” ele abraça o ônus e o bônus da decisão de encerrar o relacionamento. O outro, já arrependido, encontra Jona em outro lugar, com uma vida nova e com suas lacunas preenchidas. 

Jona Poeta

Embora traga uma intensa reflexão pessoal, “Nome na Lista” mostra o potencial pop e radiofônico de “Soltei”, EP de estreia de Jona Poeta. As canções narram uma despedida, que vai do momento inicial de desapego (“Soltei”) ao amor próprio (“Meu couro”), passando por empatia (“Catarse”) e arrependimentos (“Nome na lista”). Jona convida o ouvinte a revisitar esse relacionamento com muita sinceridade e vulnerabilidade.

Ouça “Beijos sem sabor”: https://smarturl.it/BeijosSemSabor 

“Esse single traz elementos que estavam presentes nas outras faixas, mas culmina em uma narrativa que é abrangente pois a grande maioria do público já viveu a experiência de alguém se arrepender de nos perder. É uma música com alto astral, letra forte e concebida para engajar todos os públicos”, adianta. 

Ao lado da produtora musical Dandara Manoela, Jona Poeta deu vida a canções onde reflete sobre amores, despedidas, recomeços e sua identidade enquanto homem LGBTQ+. O EP “Soltei” será lançado em breve e é um retrato desse salto no desconhecido. Enquanto isso, é possível ouvir “Nome na lista” nas principais plataformas de música.

Ouça “Nome na Lista”: https://smarturl.it/NomeNaLista
Assista a Jona comentando sobre “Nome na Lista”: https://youtu.be/Lmk0JBqBi6g

Ficha técnica
Letra e voz: Jona Poeta 
Arranjo e direção musical: Dandara Manoela 
Produção executiva: Jona Poeta 
Produção musical: Dandara Manoela, Binho Manenti 
Baixo, synth e efeitos: Binho Manenti 
Guitarra e violão: Eduardo Stormowski 
Captação de voz: Fabio Sung 
Tratamento de voz: Rodrigo Reitz 
Mixagem e masterização: Binho Manenti 
Arte da capa: Fernanda Jerônimo
Produção e direção do vídeo de divulgação: Ingrid da Costa
Captação de áudio do vídeo de divulgação: Allan CM 
Cenografia de vídeo divulgação: Alisson Airam 
Fotografia de vídeo: Allan CM
Fotografias: Ingrid da Costa

 

Letra
Eu decidi por você.
Te dei a desculpa,
a causa que faltava.
Eu deixei de você, levei comigo a culpa,
a carga que pesava.
Cansei tanta disputa,
de dar sem levar nada.

(Refrão)
E agora vem… com saudade.
Nessa hora tem… tem vontade.
Te deixei livre e absolvido.
Se era eu ou era meu…
era teu, o perigo.

Te dei a rua, a lua, a pista,
luzes piscando, nome na lista.
Então roubei a sua chave,
empurro a porta e ela abre.Saí
correndo voando numa ave,
pintei o rosto cantei suave.

Sorri com os olhos cheios de água.
Olhei pra trás, não sobrou nada.
Fiz uma casa nova e colorida.
Quis uma nova história a ser vivida.
Olho os rabiscos todos da sua vida,
e não tem nada ali pra eu viver.
Minhas asas cresceram,
meus sonhos apareceram.
Na jaula sobrava espaço e você cabia.
No meu mundo agora falta parte vazia.
Você me olha e pergunto se você aqui caberia.

E agora vem… com saudade.
Nessa hora tem… tem vontade.
Te deixei livre e absolvido.
Se era eu ou era meu…
era teu, o perigo.

 

Acompanhe Jona Poeta:

Spotify: https://open.spotify.com/artist/2CUdlmUOwQQy1E4hUuAaNL
Instagram: https://www.instagram.com/jona.poeta/
Facebook:  https://www.facebook.com/Jonapoeta456 

Diego Fernandes Escrito por:

Bebedor desenfreado de café e averso a picanha, Diego é desenvolvedor front-end e professor. É o fundador do Duofox. Na literatura não vive sem os russos Dostoiévski e Anton Tchekhov e consegue "perder" tempo com autores da terra do Tio Sam, Raymond Chandler e Melville. Acredita que a arte de maneira geral é a única forma de manter o ser humano pelo menos acordado, longe do limbo que pode levar a humanidade à Encruzilhada das Almas.

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *