Laura Canabrava convida a um mergulho interno em novo álbum

Em “TRANSE noturno”, a cantora e compositora carioca Laura Canabrava propõe ao ouvinte um encontro com novas realidades. As ruas da noite por onde caminham os versos são, na verdade, um guia para dentro de si mesma em um mergulho no feminino em forma de MPB, blues, pop, eletrônico e música latina. O novo álbum da artista está disponível em todas as plataformas de streaming.

Ouça “TRANSE noturno”: http://ps.onerpm.com/transenorturno

“Todas as músicas do novo álbum foram criadas a partir de um processo de me conectar comigo, olhar para dentro, me conhecer, me conectar com minha energia feminina e libertar a mulher que sou”, conta a artista.

Esse processo de autoconhecimento e liberdade da mulher é uma marca da arte de Laura Canabrava desde 2018, quando lançou seu primeiro single “Transe Transa Transitar”. No mesmo ano, ela revelou seu primeiro álbum, “AIYÊ”, com composições para os Orixás com sonoridades de ritmos afro, jazz e pop. No ano passado, após participar do programa ASA do Oi Futuro, Laura lançou o EP “Vontade”, com músicas que expressam seus sentimentos, questionamentos e visão de mundo enquanto mulher na sociedade. 

Essa união entre os diversos sagrados internos e as relações interpessoais marcam o novo álbum da artista, feito em parceria com o produtor musical João Bittencourt e que passeia pelos ritmos que Laura já usa como ferramentas com novas cores,  antecipado no single “Desconstrua”.

“Para esse disco, resgatei ainda o primeiro single que lancei, a música ‘Transe Transe Transitar’, por ter muito a ver com esse meu momento, com essas músicas e serviu como inspiração de sonoridade para o trabalho, além de ganhar uma nova versão. O próprio nome, ‘TRANSE noturno’, veio daí e da ideia de um mergulho interno de transformações intensas geradas pela conexão com a energia feminina”, analisa.

Realizado com uma banda base formada por Bittencourt nas teclas e beat, Lourenço Vasconcellos nas baterias e Alana Alberg no baixo, o álbum conta com participações especiais de Jonas Hocherman  (trombones na música “Paradoxo”), Maria Clara Valle (violoncelo em “Nacen Los Vestidos” e “Lua Nova (Vinheta)”), Tatiana Bittencourt – (castanholas e sapateado flamenco em “Nacen Los Vestidos”), Luciano Camara (violão em “Nacen Los Vestidos”) e um coro formadopor Deya Mota, Isis Botelho e Tuany Zanini em “Nacen Los Vestidos” e “Lua Nova (Vinheta)”.

Completamente produzido em um período de três meses, o álbum foi realizado através do Edital Retomada Cultural, da Lei Aldir Blanc do Estado do Rio de Janeiro. “TRANSE noturno” está disponível em todos os serviços de música digital.

Ouça “TRANSE noturno”: http://ps.onerpm.com/transenorturno

Ficha Técnica:
Direção artística, direção e produção musical: Laura Canabrava
Co-produção musical: João Bittencourt
Arranjos: Laura Canabrava e João Bittencourt
Edição: João Bittencourt
Mixagem: Felipe Moura
Master: Raphael Stolnicki
Estúdio de gravação: Lontra Music
Coordenação de Projeto e Produção executiva – Thais Bernardini (A Ponte Produções)
Concepção Visual : Diana Cassel, Gabriela Carvalho e Clara Jacques
Foto de capa: Helena Cooper
Styling: Bella Castro
Maquiagem e cabelo: Camila Coelho
Selo: Peneira Musical
Gravado no Estúdio Lontra Music, por João Ferras e Bruno Danton, exceto as gravações de Celo, Trombone e teclados gravadas em Home Studio dos respectivos músicos. No período de Fevereiro e Março de 2021.
Realizado pelo Edital Retomada Cultural, da Lei Aldir Blanc, da Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro.
Laura Canabrava – vozes, violão e beats
João Bittencourt – Piano elétrico, piano, beats e teclados
Lourenço Vasconcellos – bateria
Alana Alberg – baixo elétrico
Jonas Hocherman – trombones na música “Paradoxo”
Maria Clara Valle – cello em “Nacen Los Vestidos” e “Lua Nova (Vinheta)”
Luciano Camara – violão em “Nacen Los Vestidos”
Tatiana Bittencourt – castanholas e sapateado flamenco em “Nacen Los Vestidos”
Deya Mota, Isis Botelho e Tuany Zanini – coro em “Nacen Los Vestidos” e “Lua Nova (Vinheta)”

Diego Fernandes Escrito por:

Bebedor desenfreado de café e averso a picanha, Diego é desenvolvedor front-end e professor. É o fundador do Duofox. Na literatura não vive sem os russos Dostoiévski e Anton Tchekhov e consegue "perder" tempo com autores da terra do Tio Sam, Raymond Chandler e Melville. Acredita que a arte de maneira geral é a única forma de manter o ser humano pelo menos acordado, longe do limbo que pode levar a humanidade à Encruzilhada das Almas.

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *