NapNap Records lança Tributo a Laura Palmer do Unbelievable Things

Uma viagem pode transformar qualquer pessoa, sem dúvidas.Tim Fleming  tirou umas férias no USA e ao regressar, no fim de agosto de 2016, teve uma grande ideia, comprou uma guitarra. a partir daí todos já conhecem o mote da história. Pilhado de ideias, gravou tudo sozinho, no quarto da casa do seus pais em Mandaguari-PR.

O nome do disco é uma piada interna, Tributo a Laura Palmer, em homenagem a série Twin Peaks. Tim estava obcecado pela clássica série de TV dirigida por ninguém menos que David Lynch. A parceria com Mark Frost, rendeu bons frutos e a série Twin Peaks foi ao ar no dia 8 de abril de 1990. Fica dica para uma série incrível e um longa-metragem bem legal.

Calma… Não é Unbelievable Things na trilha,  é só o Portishead – Roads.

 

Unbelievable Things é formado por Tim Fleming e Jun Hirota, que agora é o baterista oficial da banda, As canções são em inglês, português e instrumental. Inicialmente o projeto tende a soar mais indie rock 90’s, mas nada impede que no futuro a sonoridade mude, pois é o que acontece com a maior parte das bandas, é caminho natural de qualquer músico.

Antes do Unbelievable ele tocava na banda Laundromaths que tem 1 EP lançado de forma independente que saiu pela Bichano Records..

O EP foi o primeiro lançamento do selo NapNap Records, que hoje consta com mais 2 lançamentos, que também é comandado pelo Tim. O Selo foi criado para lançar materiais do próprio e de amigos. A outra parte do selo é o amigo, Murilo Marin das bandas Flooded Bassitt e No Crowd Surfing.

Por enquanto o selo é somente online, mas já há projetos para lançamentos em cassete e no futuro quem sabe em Vinil.

Álbum gravado em casa no mês de Agosto de 2016.
Mixado e “Masterizado” por Tim.
Guitarras e Vocais: Tim
Baterias Eletrônicas feitas por Daniel F Branco Bezerra e Fernando Parreira.
Capa do disco por Jung.

 

Unbelievable Things

NapNap Records Soundcloud

NapNap  Record no Facebook

Contato

Diego Fernandes Escrito por:

Bebedor desenfreado de café e averso a picanha, Diego é desenvolvedor front-end e professor. É o fundador do Duofox. Na literatura não vive sem os russos Dostoiévski e Anton Tchekhov e consegue "perder" tempo com autores da terra do Tio Sam, Raymond Chandler e Melville. Acredita que a arte de maneira geral é a única forma de manter o ser humano pelo menos acordado, longe do limbo que pode levar a humanidade à Encruzilhada das Almas.

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *