Pro Inferno com isso – A prosa fluída do baiano Matheus Peleteiro

Não é pra qualquer um escrever contos que nos socam o estômago e nos divertem ao mesmo tempo. Pro inferno com isso, do baiano Matheus Peleteiro, me causou essa impressão.

Estou bastante acostumado a ler Rubem Fonseca, o velho Buck e Hemingway, então, acredito que entendo um pouco da arte de narrar. Sei quando estou diante de um texto fluído. Mas ok, a resenha aqui é outra.

Matheus é jovem. Não tem nem 30 verões e está na estrada a menos tempo que esses medalhões ai. Porém, existem detalhes que merecem ser pontuados a respeito das narrativas desse autor. Os contos são curtos, diretos e falam da vida. Nem sempre uma vida boa, mas acima de tudo, uma vida verdadeira.

Matheus Peleteiro

As histórias sugerem coisas e deixam o leitor intrigado, pois a cada novo conto, somos surpreendidos com o inesperado, com o inverso do que achávamos que iríamos encontrar. A literatura atual carece disso. Tem muita coisa óbvia hoje em dia.

Quero destacar alguns dos contos desse livro que já tem lugar na minha lista de leituras nacionais.
 
Legiões Urbanas de devoradores de literatura
 
Um conto que nos leva a um passeio pelo universo literário. É uma narrativa curta e deliciosa, pois mostra um conjunto de “escritores” que dificilmente encontraríamos num mesmo texto. Ele cita desde Hemingway, Hesse até Augusto Cury e Hilda Hilst.
 
Quem narra no conto é uma voz jovem, confusa e que está em busca de si mesmo num mundo onde a literatura é tão diversificada e mística, que para o narrador é difícil se encontrar e ser feliz.

Mãos de Poeta

Nessa história, a decepção amorosa e os conflitos internos de um rapaz entram em cena. Relembrando as palavras de seu pai, a voz que nos conta as razões pelas quais ele se desiludiu no amor, nos diz muito sobre amor, paternidade e decepções.

Eu vou foder com você

Conto que vem das entranhas. Começa leve. Nem tanto na verdade, mas vai crescendo e tomando a forma de uma narrativa à moda de Rubem Fonseca. Sem dúvidas, meu conto favorito desse livro. Detalhe, a mocinha da história vai adorar foder com você!

Um encontro com o velho

Que história bem pensada. Matheus simples e direto, constroi um enredo genial. É um conto diálogo. Mas não uma prosa qualquer. É uma prosa de bar com o velho safado. Sim, o próprio Henry Chinasky, alter ego do bom e pervertido Charles Bukowski. Sem mais comentários sobre esse conto.

Eu poderia ficar aqui descrevendo uma por uma as histórias do livro do Matheus, mas quero deixar mais coisas escondidas. Só pra fechar, o garoto tem uma prosa fluída e sem rodeios. Fica a indicação de uma excelente literatura nacional.

Pro inferno com isso foi lançado em 2019, de forma independente. Além desse livro de contos, Matheus Peleteiro escreveu um romance, Mundo Cão e a novela, Notas de um Megalomaníaco Minimalista.

Felipe Terra Escrito por:

Professor e amante da arte literária, atua na área da educação desde 2011. Viciado na música de Bach, Mozart e Chet Baker, e na literatura de Raymond Chandler, Ross Macdonald e Paul Auster. Ama escrever e acredita que poderia ler mais, porém, precisa dormir, infelizmente. Consegue passar horas jogando pôquer ou xadrez com os amigos. Degustar pizzas de queijo e bacon é um dos passatempos prediletos em horas de fome extrema.

seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.