Demian – A experiência que buscamos a vida inteira

demian-hermann-hesse

hesse

Na adolescência, existem tantas incertezas e caminhos turvos, que mal podemos escolhê-los, sem arrepender-se mais tarde. Demian do autor Herman Hesse, aborda estas incertezas e a busca de si mesmo como nenhuma outra obra abordou anteriormente.

De forma subjetiva, mostra vários problemas, dos quais não possuímos habilidades para resolver enquanto jovens, desprovidos de vivência e experiência. O livro conta a saga de Emil Sinclair, nascido num lar religioso, que ao passar do tempo, vai percebendo o quanto era diferente de sua família.

Que ao conviver com Franz Kromer (A ovelha negra da escola), começa a enxergar o mundo através de um outro ângulo, mais obtuso e cheio de malicia. Onde Kromer, aproveita de sua fragilidade para extorquir e chantagear Sinclair.

Neste meio tempo, que Sinclair conhece Demian, estranho e enigmático estudante, que ao tornar-se amigo de Sinclair, afasta Kromer e traz mais dúvidas e anseios a vida Sinclair. Como divagações filosóficas, existenciais e místicas. Demian faz com que Sinclair busque em si, um Eu adormecido, A dualidade, é o tormento de Sinclair. Luz, trevas, homem, mulher, com a evolução de seu transtorno e o aumento de sua sabedoria, Emil Sinclair descobre-se no meio de cacos de personalidade, que juntos formam o homem.

Em vários momentos da vida de Sinclair, Demian retorna de diversas formas em vários aspectos, logo este laço torna-se inquebrável até chegar ao máximo de envolvimento, onde os ensinamentos que adquiriu ao longo de sua vida, culminam em um final trágico.

Carregado de estudos filosóficos e psicológicos, Demian é uma grande obra, escrita por um dos maiores escritores, que muitos tentam copiar sem sucesso. Herman Hesse foi um grande conhecedor de Jung, Freud, Nietzsche e filosofia oriental. Seus livros refletem de forma universal, o humanismo e drama dos indivíduos neste planeta. Não foi à toa que recebeu o prêmio Nobel em 1946 com o Lobo da Estepe.

Trechos de Demian – Herman Hesse:

Não creio ser um homem que saiba. Tenho sido sempre um homem que busca, mas já não busco mas nas estrelas e nos livros: começo a ouvir os ensinamentos que meu sangue murmura em mim.

A vida de todo o ser humano é um caminho na direção de si mesmo.

E há muitos também que se embaraçam para sempre nesses obstáculos e permanecem a vida toda agarrados a um passado sem retorno, ao sonho do paraíso perdido, o pior e o mais assassino de todos os sonhos.

São muitos os caminhos pelos quais Deus pode nos conduzir à solidão e levar-nos a nós mesmos.

0 I like it
0 I don't like it

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *