Banda tocantinense Soprü lança novo single

Sólissurto, que chega nos streamings nessa quinta 16, é o novo lançamento da banda tocantinense Soprü, que diretamente de Palmas no Tocantins, é uma banda criativa, engajada com a proposta do desafio da experiência sonora.
 
Com composições que passeiam por caminhos imprevisíveis e multirrítmicos, apostam nas diversas camadas de guitarras, sintetizadores e clarinetes para compor uma atmosfera particular, que soa intimista e ao mesmo tempo dançante e coletiva.
 
Nesse trabalho a banda une elementos psicodélicos e caóticos para materializar o intangível. Com a produção inspirada, bateria, mix e master de Iuri Freisberg, que foi aceito nesse trabalho quase como um membro interino do grupo, e traz um resgate de elementos que estão no primeiro álbum, Enquanto A Orquestra Não Vem, lançado em abril. 
 
 
A canção foi idealizada para ser a apresentação da banda para a seletiva do Se Rasgum, maior festival de música independente da região norte. O trabalho teve apoio e ajuda de custo por parte do festival e até então a banda concorre a três vagas para participar do evento.
 
O single traz um som intimista e animado, que pode ser identificado por alguns como Indie Rock, mas que carrega detalhes singulares, realçados pela colaboração de Daniel Kowalski, que participou ativamente na gravação dos teclados e synths, além de ser o produtor oficial da banda. 
 
De acordo com os próprios membros, a canção propõe uma conexão direta e sensível com a memória afetiva do ouvinte. “Constantemente nos deparamos com a tentativa de explicar sentimentos que não possuem definições simples e que não podem ser verbalizados. Há momentos em que somente as palavras não conseguem decifrar por completo um estado da mente” descreve o vocalista Carvalho Samuel.
 
O grupo conta hoje com a participação de cinco membros fixos. No baixo e synth bass está Iury Groove, clarinete e leads com Lucas de Jesus, vocal e letras na responsabilidade de Carvalho Samuel e guitarras nas mãos de Caio Paiva e Wellis Raik.
 
 
Diego Fernandes Escrito por:

Bebedor desenfreado de café, Diego é desenvolvedor front-end e professor. É o fundador do Duofox. Na literatura não vive sem os russos Tolstói, Dostoiévski e Anton Tchekhov e consegue "perder" tempo com autores da terra do Tio Sam, Raymond Chandler e Melville. Acredita que a arte de maneira geral é a única forma de manter o ser humano pelo menos acordado, longe do limbo que pode levar a humanidade à Encruzilhada das Almas.

seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.