A Garota das Laranjas de Jostein Gaarder

Jostein Gaarder, escritor norueguês que conquistou milhões de leitores de diversas idades com O mundo de Sofia, escreveu grandes títulos e não resta dúvida que, O dia do Curinga, Através do espelho e Pássaro raro, complementam a lista de obras-primas escritas por este autor.

No romance A garota das laranjas, Jostein Gaarder fala sobre a vida de um garoto de 15 anos, Georg Røed , que não teve a oportunidade de conhecer o Pai, Jan Olav que pereceu de uma doença terminal.O que Georg não esperava, é que seu pai tivesse deixado há 11 anos atrás, uma carta para ele, dentro de um carrinho antigo de bebê. Georg Røed mora com a sua mãe Veronika, o padrasto Jørgen e com a sua irmã de apenas 1 ano e meio, Miriam.Na mesma casa em que seu pai vivia antes de morrer.

O mote da história é justo o relacionamento de seu pai com a garota das laranjas, as desilusões amorosas, as alegrias e as divagações existenciais.Através desta carta, que mais se assemelha a um diálogo póstumo entre pai e filho. Georg começa a conhecer mais sobre o pai, sua personalidade, suas fraquezas entre outros atributos.O livro é uma lição de vida, pois retrata a perseverança de um pai prestes a morrer, com um filho pequeno e no ápice da vida, feliz com a carreira e o casamento.

Um livro possui uma temática triste,mas em contrapartida é uma história de amor incrível, faz refletirmos o quanto somos vulneráveis neste mundo.E que podemos partir a qualquer momento.Horácio (65 a.C.-8 a.C.) se faz mais presente do que nunca com sua expressão de Carpe diem, expressão em latim que significa “aproveite o dia”.

A garota das laranjas possui uma adaptação lançada em 2009, dirigida por Eva Dahr.

A Garota das Laranjas é um livro curto, apenas 138 páginas de simplicidade.Leitura altamente indicada pelo Duofox, Até a próxima resenha!!!

 

Diego Fernandes Escrito por:

Bebedor desenfreado de café e averso a picanha, Diego é desenvolvedor front-end e professor. É o fundador do Duofox. Na literatura não vive sem os russos Dostoiévski e Anton Tchekhov e consegue "perder" tempo com autores da terra do Tio Sam, Raymond Chandler e Melville. Acredita que a arte de maneira geral é a única forma de manter o ser humano pelo menos acordado, longe do limbo que pode levar a humanidade à Encruzilhada das Almas.

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *