Leonid Andreiév, um russo que você precisa conhecer

andreiev

Os temas que Andreiév aborda são alimento para leitores famintos. Leonid Nikoláievitch Andreiév nasceu na cidade de Orel na Rússia, em  9 de agosto de 1871. Foi um dos maiores escritores russos do início do Século XX.

As contradições e angústias da alma humana são matéria prima para seus textos, que incluem peças de teatro e contos excepcionais. Raras vezes o autor não recorre aos seus temas favoritos, como a morte, o jogo e o sofrimento que consome o ser humano.

Em um de seus livros mais lidos, Judas Iscariotes e outras histórias, Andreiév oferece ao leitor contos potentes e questionadores, que nos levam a refletir, no conto que dá nome ao livro, sobre o verdadeiro papel de Judas Iscariotes na paixão de Cristo. Na verdade Andreiév sugere alguns questionamentos. Judas teria feito uma espécie de sacrifício, para tornar Jesus um ser Divino e adorado? A traição lançou Judas num abismo tenebroso, do qual, mesmo que desejasse, não poderia jamais escapar? Cabe ao leitor responder essas questões.

Além de Judas Iscariotes, outros contos de Andreiév levantam questões fascinantes, como é o caso do conto O Nada, em que um homem importante, agonizando em seu leito de morte, tem que decidir, após a visita do diabo, se quer a vida eterna infernal ou viver num completo vácuo, o nada, simplesmente deixar de existir para sempre. O diálogo entre o velho moribundo e o diabo resulta em um conto brilhante.

Seus textos são habitados por personagens infelizes e que inspiram compaixão. O autor nunca conseguiu se livrar dos traumas passados, e deixava tudo isso transbordar em seus textos. Andreiév pinta em seus textos imagens trágicas e repletas de amargura, através de seus vencidos personagens, com um estilo revoltado, impetuoso e torturantemente pessoal.

Esses e outros contos são literatura russa de primeiríssima linha. Nas palavras de Máximo Gorki, “Andreiév tem uma intuição surpreendente, fina, ao tratar das contradições da alma humana e das fermentações do instinto.”

Seus primeiros contos e novelas alcançaram relativo sucesso na época. Até mesmo Tolstoi, em pleno vigor literário, o considerava um escritor poderoso.

A vida de Andreiév, como a de tantos outros escritores, foi bastante difícil. Em épocas de penúria, chegava a ficar dias e dias sem ter o que comer, chegando a tentar o suicídio, que não se consumou, pois o socorreram a tempo. Ainda no hospital, segundo estudiosos de sua obra, Andreiév se arrependeu de seu ato e começou a refletir sobre a incapacidade humana de se sobrepor ao destino e a vontade de Deus. Andreiév morreu em 12 de Setembro de 1919, ano em que ainda publicava, de um ataque cardíaco em plena miséria.

Leia um trecho de Judas Iscariotes de Leonid Andreiév.

 

Felipe Terra Escrito por:

Professor e amante da arte literária, atua na área da educação desde 2011. Viciado na música de Bach, Mozart e Chet Baker, e na literatura de Raymond Chandler, Ross Macdonald e Paul Auster. Ama escrever e acredita que poderia ler mais, porém, precisa dormir, infelizmente. Consegue passar horas jogando pôquer ou xadrez com os amigos. Degustar pizzas de queijo e bacon é um dos passatempos prediletos em horas de fome extrema.

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *