Médicos Cubanos lança a indie rock bem-humorada ‘Bar e Lanches’

Quem nunca bebeu e comeu em um bar, daqueles sem frescuras, que faz jus à alcunha de ‘boteco’, aquele lugar que te oferece iguarias e um peculiar aconchego a qualquer hora. É o que conta e canta o power trio punk/rock garagem paulistano Médicos Cubanos no single ‘Bar e Lanches’.

Ouça Bar e Lanches aqui: https://linktr.ee/medicoscubanos.

Bar e lanches é uma homenagem a uma das ‘instituições mais confiáveis do território brasileiro’, como prega a Médicos Cubanos. Aquele boteco despretensioso onde todas as classes sociais se reúnem em algum momento, seja ele para beber ou para comer.

“Mas os botecos raízes, não aqueles que querem emular a simplicidade mas esquecem dos preços populares”, contextualizam Duh Bellotto (vocais, guitarra e sintetizador), Tati Carmelo (baixo) e Victor Reis (bateria).

Também é uma homenagem póstuma da Médicos Cubanos ao Jeová, dono do boteco que fica na rua Benedito Calixto com a Lisboa, uma figura bem conhecida em Pinheiros, na capital paulista.

No bar do Jeová, eles contam, o slogan é “seja testemunha”, e foi palco de incontáveis noites de bebedeira da nossa banda.

“A escolha de ‘Bar e Lanches’ como primeira música de trabalho é porque acreditamos que o momento pede músicas felizes”, conta a banda.

Bar e Lanches, assim como todas as músicas do vindouro Meu próprio Clube da Luta, foram gravadas no Estúdio Aurora. A produção é assinada por Carlos Eduardo Freitas, a mixagem é de Ale Zastras e masterização de Carina Renó/Etrusca.

Médicos Cubanos

Ativa desde 2019, a banda Médicos Cubanos é de São Paulo e faz rock alternativo. Já lançou 3 EPs e se prepara para o lançamento do primeiro álbum, já intitulado Meu próprio Clube da Luta, que chega ao streaming no dia 8 de julho de 2022.

Meu próprio Clube da Luta mistura rock de garagem com MBB e pitadas de reggae, com influências que vão de Polara a Belchior e de Cap’n Jazz a Lo Borges, mirando nos Pixies e acertando na Legião Urbana.

Se no instrumental as referências são totalmente noventistas, as letras trazem temas atuais como redes sociais, espiritualidade, positividade tóxica e viver em São Paulo.

Integrantes

Duh Bellotto: vocais, guitarra e sintetizador
Tati Carmelo: baixo
Victor Reis: bateria

Instagram

www.instagram.com/medicos.cubanos

Diego Fernandes Escrito por:

Bebedor desenfreado de café, Diego é desenvolvedor front-end e professor. É o fundador do Duofox. Na literatura não vive sem os russos Tolstói, Dostoiévski e Anton Tchekhov e consegue "perder" tempo com autores da terra do Tio Sam, Raymond Chandler e Melville. Acredita que a arte de maneira geral é a única forma de manter o ser humano pelo menos acordado, longe do limbo que pode levar a humanidade à Encruzilhada das Almas.

seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.