Molho Negro vai a Berrini mostrar seu novo som para transeuntes da estação e o resultado é espetacular

“O meu vip vem do meu cordão umbilical, você sabe com quem tá falando…?”

Com essa frase recheada de privilégio cego, o Molho Negro, embala o começo do seu mais novo single, ironicamente batizado de Berrini e rechaça praticamente todo argumento ‘faria limer’ de um Brasil promissor de 2018 para os dias atuais.

Aliás, 2018 data o ano do último disco deles (Normal) e já estávamos com saudades de uma produção nova. Lançado em parceria com a Flecha Discos e a cargo de Gabriel Zander na produção, a música é o abre alas para seu próximo disco, que será lançado em breve.

O Molho Negro é uma banda muito querida por aqui e conquistou nossos corações com suas músicas energéticas, acompanhadas de letras incrivelmente sarcásticas. João Lemos (vocalista e guitarrista) tem esse dom de fazer uma leitura precisa, sagaz, caricata, irônica do nosso cotidiano, resultando em reflexões indigestas sobre o contexto social em que vivemos.

“…a gente ta virando a caricatura da caricatura da caricatura da caricatura….” é uma outra frase mortal de Lemos na música nova.

Ouvindo o single e, ao mesmo tempo acompanhar seu vídeo clipe se torna uma tarefa das mais deliciosas. Na gravação do clipe, eles foram a estação Berrini em SP, abordar pessoas passando pelas ruas, e colocá-las para ouvir a música.

O resultado é sensacional, com diversos pontos de vistas, sobre a obra nova do grupo. Pessoas escolhidas de modo aleatório, que não fazem parte do público alvo da banda, opinando e o melhor de tudo, conhecendo a banda ali naquela audição exclusiva.

Muitos se identificaram, outros se chocaram com algumas partes da letra. Teve gente que achou a música “alegre” considerando mais a batida do que o que estava sendo cantado.

O Molho Negro veio com os dois pés no peito e com esse som novo reforçar todas as mazelas, indiferenças e hipocrisia entre nós, reles mortais, de pastores a influenciadores, não se poupa ninguém. Todos temos teto de vidro.

“…se jesus voltasse quem iria cancelar? jesus cristo hoje seria ateu”

Não tem como ser mais cirúrgico no sarcasmo que essa frase sendo cantada por um vocalista que no decorrer da música, passa a impressão simultânea de cuspir veneno junto com a letra.

Créditos do clipe
Produção executiva: Molho Negro / Murilo Benites
Direção e roteiro: Molho Negro / Murilo Benites
Direção de fotografia: Lírica Aragão
Edição e finalização: João Lemos
Câmeras: Lírica Aragão / Caio Brito
Entrevistas: Mariana Ayrez
Produção: Carol Folha
Assistentes: Raony PInheiro / Antonio Fermentão
Créditos da música Produzido por Gabriel Zander e Molho Negro
Gravado, mixado e masterizado por Gabriel Zander

Letra
o meu vip vem do meu cordão umbilical você sabe com quem ta falando?
se soa ressentido ao menos soa natural você sabe do que eu to falando?
Artistas de final de semana vão pra Berrini
Artistas de final de semana
e o que não me deixa dormir a gente ta virando a caricatura da caricatura da caricatura da caricatura
e o que não me deixa mentir eu me rendo muito fácil também
no espelho do banheiro, recupera o controle (fabrica de atores fábrica de atores) respira fundo, abre a porta, é só passar de hoje (fábrica de atores fábrica de atores) engole esse choro e conserta essa pose (é só passar de hoje é só passar de hoje) apaga o cigarro e aperta o interfone (é só passar de hoje é só passar de hoje)
não tem nicotina que faça isso passar alguém na estação reconheceu se jesus voltasse quem iria cancelar? jesus cristo hoje seria ateu
e o que não me deixa dormir
a gente ta virando a caricatura da caricatura da caricatura da caricatura e o que não me deixa mentir eu entendo porque eu faço também um beijo pra todos os meus novos seguidores (lacrando horrores, lacrando horrores) é o plano de carreira dos influenciadores (lacrando horrores, lacrando horrores)

 

Tito Cepoline Escrito por:

Entrou para compor o timaço do podcast ABUTRES NÃO OUVEM JAZZ, formando o power trio mais improvável e pra lá de especial. Apaixonado por viagens e artes no geral, em especial a música, tem ouvido aberto para vários estilos, alguns bem peculiares e passeia na linha que vai do jazz ao hardcore. Viagens e Música não são meros itens na prateleira!! Seguindo essa máxima, segue na luta diária de promover, divulgar, incentivar cultura, arte independente, lugares pitorescos, praias belíssimas que tanto são necessários para nossa sobrevivência!!

seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.