Soul – uma animação sobre jazz que diz muito mais sobre a vida

O que dizer sobre o filme da Disney/Pixar que fala sobre Jazz? Mas a animação Soul é muito mais do que um filme engraçadinho e sobre a paixão pelo jazz.

Soul não é um filme convencional. O longa traz ótimas reflexões sobre a vida e sobre nossas escolhas diárias. Fala sobre a ânsia que o ser humano tem de buscar algo que pensa ser a sua razão de viver, mas que quando alcança esse algo, tem seu castelo diluído por uma onda de frustração.

garner - Soul

 

Soul é um filme para essa geração de jovens e adultos que buscam durante anos a fio um lugar ao sol, sucesso profissional, amoroso (não é o foco do filme, mas cito para que vocês entendam) ou ainda uma razão para viver intensamente.

Quem precisa assistir a esse filme que promete risadas e uma boa dose de emoção e até lágrimas, por que não? A resposta é única e simples. Todos devem assistir.

Assistir e perceber o quanto a vida do personagem principal, Garner, o professor de música do ensino médio que sonha em ser um grande músico de jazz, vai se tornando vazia e sem graça.

A vida dentro de uma escola não parece ser o desejo de Joe Garner. Ele aspira mais, muito mais. Entretanto, algo inesperado acontece e ele tem a grande chance de sua vida, porém, uma experiência de quase morte muda tudo.

Por que Soul é um excelente filme?

Soul é um filme que beira à perfeição, com trilha sonora deliciosa (sim, claro, regada a muito jazz) e bem completa para um filme de animação, mas se tratando de Disney/Pixar, não poderia ser diferente.

O longa tem um ritmo rápido e diversas metáforas e situações que servem para abrir inúmeras discussões sobre a vida e o que fazemos dela.

Como por exemplo, por que pais e mães querem moldar os filhos ainda pequenos como se fossem robozinhos?

Qual a razão de perseguir uma carreira de sucesso se nem ao menos paramos para saborear um pedaço de pizza com nossos amigos sem preocupações diárias?

Ou ainda, até que ponto vale a pena enfrentar esse mundo agitado e complexo para tornar-se uma pessoa que realmente ama o que faz?

Ah, Soul ainda tem na grande maioria personagens negros, o que nos deixa ainda mais animados para assistir, pois é algo que quebra com todos os estereótipos sociais dos outros desenhos da própria Disney/Pixar e tantos outros desenhos de outros estúdios.

Aliás, esse foi um dos pontos principais e que elevam ainda mais o nível do filme. Essa parece ser uma tendência da indústria cinematográfica para os próximos anos após tantos episódios tristes de racismo em todo o mundo.

E por fim, nada do que disser aqui a mais fará você gostar mais ou menos do filme. A dica é simples. Sente-se e assista! Comentem depois se Soul tem ou não um roteiro de tirar o chapéu e de encantar a alma.

Felipe Terra Escrito por:

Professor e amante da arte literária, atua na área da educação desde 2011. Viciado na música de Bach, Mozart e Chet Baker, e na literatura de Raymond Chandler, Ross Macdonald e Paul Auster. Ama escrever e acredita que poderia ler mais, porém, precisa dormir, infelizmente. Consegue passar horas jogando pôquer ou xadrez com os amigos. Degustar pizzas de queijo e bacon é um dos passatempos prediletos em horas de fome extrema.

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *