Você conhece Juan Carlos Onetti?

Juan Carlos Onetti pode ser um desconhecido para você, mas certamente é um dos maiores escritores que a América já teve. Segundo alguns críticos, Onetti está na prateleira ao lado de Julio Cortazar, Mario Vargas Llosa e Carlos Fuentes, monstros da Literatura e língua espanhola que Onetti influenciou direta ou indiretamente.

Onetti nasceu no Uruguai, em 1909, e após exílio desde 1975, faleceu em Madri em 1994. Autodidata ao extremo, nem chegou a completar o ensino médio, mas sua experiência com a linguagem, iniciada em uma redação do jornal Marcha, o ajudou a alcançar um posto na famosa agência Reuter e garantir lugar na cena literária do século XX.

A literatura de Juan Carlos Onetti pode não parecer muito convencional. E de fato não é. A ligação de sua obra com o grande americano, William Faulkner, é muito estudada, considerando o que Onetti faz em seus escritos, com vozes e personagens que divagam em universos quase paralelos, beirando ao absurdo da reflexão interior. Na linguagem densa de seu melhor romance, nas palavras dos críticos, A Vida Breve, Onetti extrapola diversos níveis narrativos, numa mistura de ficção e realidade com sua marca inconfundível, a linguagem densa e elegante.

onetti-2

A Vida Breve conta a história caótica de Juan María Brausen, um homem que vive atormentado pela estranha cirurgia de retirada do seio de sua esposa. Ao lado, num apartamento vizinho, uma prostituta vive constantemente a gritar com seus orgasmos quase demoníacos. Chega a parecer cômico, mas a carga dramática que permeia o livro impressiona.

A narrativa inquietante cresce em vigor, e apesar de parecer um livro amarrado e que nada de mais vai acontecer, nos faz refletir sobre a violência, sordidez humana e a sobre uma questão interessante. Tudo o que vivemos é real?

Quando pensamos que Onetti está terminando com as inovações e questionamentos, outras histórias surgem dentro da floresta obscura do romance. O personagem central assume outras personalidades, dessa vez, habitará os corpos e alma de um médico e de um cafetão. Ambos, é claro, caminharão para um fim comum a todo ser humano, a da existência irremediável e fracassada.

Pode parecer estranho, mas um livro como A Vida Breve oferece uma excelente e deliciosa base para que possamos entender alguns dramas comuns, como solidão, tristeza, culpa e a frustração. Por fim, ainda resta o personagem não menos importante, a cidade fictícia, Santa María, onde Onetti faz desfilar seus personagens perturbados, e que o leitor mais atento perceberá, pode ser qualquer cidade com seus diversos dramas sociais.

Os livros de Onetti são estruturas complexas, que exigem do leitor atenção. Ler um livro como A Vida Breve é uma experiência inovadora e única, tanto pela linguagem precisa quanto pela forma como Onetti constrói a história, em que sonho e pesadelo soam como sinônimos.

O livro A Vida Breve de Juan Carlos Onetti pode ser encontrado no site da Toplivros. Entre e compre o seu. A experiência de leitura vale cada momento.

La literatura es mentir bien la verdad

 

Felipe Terra Escrito por:

Professor e amante da arte literária, atua na área da educação desde 2011. Viciado na música de Bach, Mozart e Chet Baker, e na literatura de Raymond Chandler, Ross Macdonald e Paul Auster. Ama escrever e acredita que poderia ler mais, porém, precisa dormir, infelizmente. Consegue passar horas jogando pôquer ou xadrez com os amigos. Degustar pizzas de queijo e bacon é um dos passatempos prediletos em horas de fome extrema.

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *