# Abutres não ouvem Jazz – Ep21 – I Shot Cyrus

Nesse episódio trouxemos esta grande banda da cena Hardcore de São Paulo. Tito Cepoline e Diego Fernandes embalam esse episódio sobre o I Shot Cyrus, vale ouvir e depois dedicar um tempinho para apreciar esta discografia bonita. Senta e curta o papo!

Notas sobre o episódio

ERRATA! Uma correção rápida: o Tito mencionou no podcast sobre o instrumental de algumas músicas do disco Tyranus e mencionou a música DEPRESSIVO. Na verdade, a música a qual ele queria se referir naquele momento era a PISAM EM SUA CABEÇA.

**O ano de 2005 mencionado no podcast como sendo o ano do último registro em estúdio da banda, (Assassinicus), marca também um outro lançamento muito animal – o Split com o Discarga – lançado em vinil pela Pecúlio Discos. Algumas faixas jamais vistas em outros splits lançados anteriormente aparecem aqui e são uma pedrada, confira os sons que a banda separou para esse play:

Sempre Refém
Kapitalistik Dëth
Pé Na Cova
Servir Para Morrer
Reaggire
Boçais a Serviço Do Capital
Na Cara
Bad Vibrations
Cobra Engolindo Cobra

**a faixa que encerra o disco Tyranus, cantada em espanhol, Use Su Rabia, contem vinhetas e samplers do filme Warriors, na cena do discurso de Cyrus para a multidão.

** Uma das marcas registradas da banda, nos discos, em sua maioria, sempre há um belo cover matador, homenageando suas referências. No disco Tyranus, a banda regravou um som dos americanos do Crumbsuckers. A faixa em questão foi a Sit There

** A banda de HC Surra de Santos fez um cover do I Shot Cyrus. A faixa título Tyranus, foi a escolhida e saiu em seu disco Split com o Damn Youth. A versão é mais “devagar” e ficou incrível as palhetadas das guitarras!! SONZERA!!!

** Nossos vizinhos aqui da região, a Leptospirose, homenageou a banda no seu disco Aqua Mad Max (2012), na faixa de abertura do disco, que leva o lindo nome de O INSTRUMENTAL DESSE SOM VAI PARA O I SHOT CYRUS. Pedrada!!!

**Kalota e seu vocal rasgado característico, misturando brutalidade, agonia, tempo – combinando muito com os riffs cortantes e “pra frente” do Cyrus é uma atração à parte. SIM, pegando o encarte, você pode até achar que não, não vai dar, não tem como, não cabe palavras ali… mas…SIM!!!!

Ele canta todas as letras do seu jeito peculiar, torto, gritado. A faixa ANIQUILAM é um belo exemplo, certeiro de como ele usa e abusa da sua técnica!! A música termina e a última palavra é justamente essa – ANIQUILAM – berrada do jeito Kalota de ser!!! Pra 90% do mundo é só mais um berro, mas para quem ama música em especial o hardcore uma paixão que leva no cotidiano, isso define o upgrade do seu dia. INSPIRADOR!!!!

# ABUTRES NÃO OUVEM JAZZ – EP5 – CRASS & BAD BRAINS

 

 

 

 

Diego Fernandes Escrito por:

Bebedor desenfreado de café e averso a picanha, Diego é desenvolvedor front-end e professor. É o fundador do Duofox. Na literatura não vive sem os russos Dostoiévski e Anton Tchekhov e consegue "perder" tempo com autores da terra do Tio Sam, Raymond Chandler e Melville. Acredita que a arte de maneira geral é a única forma de manter o ser humano pelo menos acordado, longe do limbo que pode levar a humanidade à Encruzilhada das Almas.

2 Comentários

  1. vhsodre
    outubro 10, 2020
    Responder

    Eu não sei se fui eu que deixei passar ou se foi vocês que não comentaram mas eles lançaram um Split 12″ com o Discarga, que saiu pela Pecúlio.
    Sobre o B.U.S.H., o Kalota gravou uma pá de coisa com a banda: a demo, dois discos, um split e dois EPs. Depois que a banda mudou o nome para Futuro, ele gravou um disco chamado MMX.
    Conheci o podcast agora pouco, após ver uma postagem do Boka no Facebook. Parabéns pelo trampo.

    • outubro 10, 2020
      Responder

      Muito massa, que bom que você gostou. Do discarga colocamos na nota, tínhamos deixado passar e só no final do programa que lembramos. Mas do Kalota, pensei que tinha gravado só o primeiro do Bush, valeu demais por acrescentar, nós que agradecemos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *