Estranhos dias de Sol – Dissecado faixa a faixa

Depois de um hiato milenar, o maior dinossauro perdoense mostra os dentes com mais um discaço Estranhos dias de Sol, total anos 80/90, prato cheio para quem gosta de Dream Pop, Industrial, Britpop, Grunge e Rock Alternativo.

Flávio Hübner (aka Bodão Hübner) é multi-instrumentista, tocou em bandas do começo dos anos 2000, tais como Sei lá, Sujeira Orgânica e Falha Humana.

Ficha técnica:
Lançado em 10/07/20Bodão Hübner: Vocais, Backings, Guitarras, Baixo, Bateria, Piano, Synths, Drum Machines, Violão, Kazoo, …

Participações especiais:
Damiantoni: Vocais em “Eu e a Morte”
Diego Fernandes: Vocais e composição em “Paradigma”
Diego Churumi: Vocais no refrão em “Feio demais”
Lui: Vocais e guitarra solo em “Armadilha”
Gnomo 4D: Vocais e composição do RAP em “Ingratidão”

Capa por Alexandre Beraldo
Produção:
Gravado, Mixado e Masterizado na Toca do Bode Estúdio por Bodão Hübner

Estranhos dias de Sol – Dissecado faixa a faixa:

1.Tristeza 02:29
Faixa instrumental que abre o disco, com clima espacial, bem viajada, para fãs de Moon Age do Duster

2.Saturno 03:46
Dream pop bacaníssimo, repleto de Synth’s, a primeira estrofe é muito interessante:“Caiu a noite em saturno / tanto faz e tanto fez / Amanheceu em Urano / sempre esperando minha vez”

3.Paradoxo Socrático 03:58
Pedrada dos anos 90, com letra que faz alusão o mito da caverna escrito por Platão, grande discípulo de Sócrates, no primeiro verso:“Estranhos dias de sol / Onde a luz não ilumina mais você”

4.Ingratidão (feat. Gnomo 4D) 04:06
Fórmula do sucesso Rap+Rock = Sucesso, letra que fala sobre empatia, algo que anda faltando por aí, com refrão para lá de direto:
“Ingratidão! A forma certa de ser um cuzão / Ingratidão! O mundo da voltas, preste atenção”

5.Alma vazia 03:42
Butch Vig na sua timeline, uma das minhas prediletas:
“Você pode sofrer /Você pode morrer / Você pode tentar / Você pode falhar
Você pode sorrir / Você pode fingir / Você pode sangrar / Você pode acabar
Mais duro que o seu coração / É a sua alma vazia”

6.Armadilha (Feat Lui) 02:59
Inglaterra é logo aqui:
“ Tudo que eu tenho é minha ignorância / Tudo o que eu sinto é a falta de esperança”

7.Eu e a Morte (Feat Damiantoni) 05:40
Dá-lhe a Rainha Elizabeth, bucolismo da letra à harmonia, os vocais a cargo de Damiantoni Miranda(músico excepcional), disparado um dos destaques do disco:
“Tudo que eu sei ninguém me ensinou / Tudo o que eu sou foi por causa de alguém / Tudo o que eu pensei só eu escutei / Agora já é tarde, pois é hora de partir meu bem”

8.Paradigma (Feat Diego Fernandes) 02:42
Um cover do banda punk Sujeira Orgânica do inicio dos anos 2000, que ganhou um arranjo belíssimo, fala sobre quebra de modelo na sociedade:
“O que penso ou deixo de fazer / seja você em todas as situações / seja alguém no meio das aglomerações / só quero saber da minha liberdade”

9.Às vezes 03:27
Balada sobre esquecimento:
“Onde estão meus amigos / Éramos tão parecidos / Riamos do perigo / Cantávamos escondido”

10.Feio demais (Feat Diegão Churumi) 03:04
Diegão do Churumi faz os vocais do refrão, com certeza o sarcasmo faz parte da letra, total caxabaxa:“Chagamos na terceira estrofe / Aguenta mais um pouco, você pode / Esta é parte que antece o solo”

11.Fúria contra o nada 03:20
Antiquíssima , letra do início dos anos 2000, tem o riff lindo e apenas 2 versos:
Tempos modernos / Fúria contra o nada

12.Julgamento 03:40
Riff hard rock com synth’s sincopando a batida:
“Se eu estava a naufragar / Esperando a mão amiga para levantar / Não sei das coisas que eu sabia / Mantenho a consciência e a mente ativa”

13.Tenebroso 03:12
Esta letra é mágica, dispensa apresentações sobre o tenebroso:
“Do meio da rua muitos gritos / Será que ouvem nas mansões / O gigante adormeceu / Pois seu sono o venceu

Diego Fernandes Escrito por:

Bebedor desenfreado de café e averso a picanha, Diego é desenvolvedor front-end e professor. É o fundador do Duofox. Na literatura não vive sem os russos Dostoiévski e Anton Tchekhov e consegue "perder" tempo com autores da terra do Tio Sam, Raymond Chandler e Melville. Acredita que a arte de maneira geral é a única forma de manter o ser humano pelo menos acordado, longe do limbo que pode levar a humanidade à Encruzilhada das Almas.

6 Comentários

  1. Juliano
    julho 12, 2020
    Responder

    Diego, o Bodão deu uma resposta a altura de seu talento. Álbum espetacular, seu Dark Side….. viciante ….

  2. Fernando Hubner
    julho 13, 2020
    Responder

    Quando eu acho que ficou bom, é porque ficou bom mesmo.

  3. André Lucas
    julho 13, 2020
    Responder

    Bodão é mestre!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *