Revista Rarozine – Blog de importância exponencial ao underground lança revista

1-German, fale-nos um pouco sobre a trajetória do Rarozine, do início das publicações em forma de posts no facebook até a publicação de uma revista impressa?

Primeiramente muito obrigado pelo espaço, sempre um prazer estar no Duofox.
Bom, a ideia inicial sempre foi um fanzine impresso, xerocado, do jeito que tinha que ser, que todos gostamos.

Mas acontece que eu não entendo nada, de formatação, diagramação, e criar isso e contar com pessoas que talvez não pudessem fazer também, acabou impossibilitando todo esse processo.
Daí então, me baseei em fazer uma coisa mais “one Man band” hahaha, criar posts no Facebook, pela página, fazendo resenhas, comentando shows, e até entrevistas, de forma muito tosca, mas era a ferramenta que utilizei durante quase 2 anos.

Eis que o nome se firmou na cena, mesmo sendo uma página, chegamos rápido, diria muito rápido a muitos seguidores e daí então passamos a ter um site (do qual os devidos créditos são deste entrevistador), que nos impulsionou a ter algo mais profissional.Dali em diante, só vimos o nosso trabalho ser alavancado pelas bandas que trabalhamos, hoje estamos com 6 anos de história, e com novo site também.

A revista veio como uma válvula de escape do mundo digital, era uma vontade própria, de adolescente, ter, desenvolver ou participar de algo assim, e calhou que anos mais tarde, cá estou fazendo parte disso tudo.

2-Porque o formato impresso? Em tempos de e-reader e leituras de artigo através de smartphones, o que o formato impresso pode acrescentar?

Pra ser bem sincero, acredito que nem queremos lutar contra a modernização, mas, sair um pouco da comodidade dos celulares, tablets e PCs, pra ler, bater um papo sobre as matérias com seu amigo/a, namorada/o, etc.

Acho que é importante ainda se manifestar dessa forma, mesmo que o formato seja retrógrado, estamos nas mesmas prateleiras dos vinis , cds , fitas k7’s.Também pensamos nas pessoas que curtem ler nos dispositivos móveis , vamos disponibilizar versão digital e acredito que isso também impulsione o interesse , e não somente o formato físico.

Como sou de uma geração dos anos 80/90 , talvez soe nostálgico termos publicações como essa , das quais íamos até as bancas todos os meses.Só que com o poder de adquirir num clique , e receber em casa , ou simplesmente ler na hora.O diferencial também que o material será inédito , com poucas exceções de algo , que haverá no site , então um não exclui o outro, mas serão distintos alvos no momento.

3-Em tempos de confinamento, de que forma uma revista pode trazer uma experiência diferenciada e acalentadora, para músicos e artistas que precisam prosseguir com suas atividades?

Com certeza , é a voz ativa aos músicos/bandas que farão parte de cada edição , queremos que soltem suas opiniões , se posicionem , divulguem seu trabalho da melhor forma , que se sintam realmente em casa.Queremos que o Rarozine seja apenas o intermediário do processo pra que a banda fale ao seu público diretamente.

4- Qual sua opinião sobre ótimas mídias impressas que perdemos com o passar dos anos, tais como: Rock Press, Maximum Rock n’ Roll, Antimidia etc?

São fatos que pra mim , me entristecem , gostaria muito que a nova geração conhecesse revistas/fanzines desse tipo.Não ter publicações como essas , soa como ficar órfão de referências musicais.
Com certeza esse trabalho , tem total influência pro nosso novo projeto.

5- Sou da escola antiga do fanzine, do famigerado “copy and paste” acompanho o Rarozine desde a ideia até o momento. Gostaria que você falasse um pouco sobre o editorial da revista do Rarozine e de suas sessões, o que o leitor vai encontrar na revista?

A princípio vamos priorizar o conteúdo extremamente musical , dando ênfase pro cenário alternativo , dos quais nos colocou nesse patamar de mídia musical.Em breve teremos alguns outros assuntos , mas ligados sempre a música.O editorial contará com entrevistas de bandas nacionais e internacionais.
Seções destinadas a bandas novas, tanto nacionais como gringas.

Teremos a presença de Valmir Antônio , falando sobre o lado mais sombrio da música , ligados ao Death / Black Metal entre outras joias.Ivan Gomes , do fanzine canibal vegetariano , um dos nossos velhos parceiros e incentivadores , fará seus textos , falando em temas recorrentes do momento atual musical.
E por fim Matheus Jacques , que já foi colaborador da extinta October Doom magazine , dará o ar da graça , com matérias no segmento Stoner/doom.Na parte gráfica , Maurício Tokuyoshi , editor do Canal Rarozine , traz a parte promocional , e a elaboração completa da revista fica a cargo de Rodrigo Fernandes (Resolve Fotografia) , o grande capitão do barco.

E em breve , surpresa , haverão grandes amigos colaborando conosco.

6-Quais conselhos para os marinheiros de primeira viagem? Ainda tem uma molecada fazendo zine por aí, como eles podem transformar o fanzine em uma revista? Que mensagem você gostaria de deixar para eles?

Uma das coisas que aprendi foi , que tudo pode ser feito , basta boa vontade.Não existe uma fórmula , faça , acredite , apoie quem te apoie , que o trabalho será reconhecido.
A dica é corra atrás, se é esse seu objetivo, faça acontecer!

A revista já se encontra em pré-venda , com preço promocional , pra ambos os formatos através da nossa loja virtual  ou através do e-mail , e também das nossas mídias sociais!
Espero que curtam e nos acompanhem!
Obrigado Duofox!
Até a próxima!

Diego Fernandes Escrito por:

Bebedor desenfreado de café e averso a picanha, Diego é desenvolvedor front-end e professor. É o fundador do Duofox. Na literatura não vive sem os russos Dostoiévski e Anton Tchekhov e consegue "perder" tempo com autores da terra do Tio Sam, Raymond Chandler e Melville. Acredita que a arte de maneira geral é a única forma de manter o ser humano pelo menos acordado, longe do limbo que pode levar a humanidade à Encruzilhada das Almas.

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *