As narrativas de Balzac – Banquete literário para leitores refinados

As narrativas de Balzac são um prato cheio para aqueles leitores mais refinados. O autor francês, que viveu entre os anos de 1799 e 1850, foi uma peça fundamental na construção do Realismo moderno na literatura francesa e mundial, e deixou inúmeras obras para rechear estantes.

Produtor fecundo de textos cuja temática vai além do romance e ambientes parisienses tradicionais, Balzac compôs uma série de novelas e romances, reunidos em sua obra monumental, Comédia Humana, conhecida por todos os amantes da boa literatura da terra dos grands romances parisiennes.

honore_balzac
Honoré de Balzac, nascido no final do século XVIII, transformou a história da literatura mundial com sua escrita inovadora e foi grande influenciador de autores como Émile Zola, Marcel Proust e Gustav Flaubert.
AS NARRATIVAS DA GRANDE COMÉDIA HUMANA

Em particular, é interessante destacar três breves novelas que compõem parte da Comédia Humana

Nessas narrativas, todas com o pano de fundo das guerras napoleônicas, o leitor se depara com novelas curtas e que contém a marca de um escritor que parecia ter na alma o dom de contar boas histórias sem entregar tudo de mão beijada.

Uma paixão no deserto

Narra uma grande aventura e uma peculiar amizade entre um soldado que fica a deriva num deserto e um felino negro, uma pantera. O que se segue após o encontro dos dois é algo incomum e praticamente nunca visto na literatura.

O carrasco

É uma narrativa difícil do ponto de vista psicológico e social, pois aborda o extermínio de uma família espanhola.

A estalagem vermelha

Conta como dois amigos, que por um infortúnio tornam-se cúmplices de um crime e acabam tendo destinos distintos.

Assim como Machado de Assis, a maneira como Balzac constrói o texto, coloca as personagens em situações e ambienta o leitor, tornam a experiência de leitura prazerosa.

PARA QUE LER ESSAS NARRATIVAS DE BALZAC?

Então, portanto, ler as novelas citadas aqui, darão ao leitor uma pequena, minúscula noção do que é estar diante de um dos maiores nomes da literatura francesa.

E além, é claro, de degustar de três narrativas onde não faltam mistério, suspense e tensão, tudo sendo entregue ao leitor de modo que, ao final, tenhamos na cabeça as únicas perguntas possíveis.

O homem pode matar sem remorso ou impunemente? Como não percebi esse desfecho antes?

Os tramas também são ótimas para reflexão sobre egoísmo, ambição, erros e acertos e principalmente sobre o instinto de sobrevivência, algo que, cá entre nós, está em alta nos dias em que vivemos.

Outras obras de Honoré de Balzac

A mulher de trinta anos
Ilusões Perdidas
O Coronel Chabert
Eugênia Grandet

Imagem de topo desse artigo (Pintura) Um jantar de filósofos, de Jean Huber (1772)

 

Dom Casmurro e seus mistérios insolúveis

A semana – Crônicas escolhidas e a importância da obra de Machado de Assis

O que os contos de fadas escondem?

Primeiros contos, a genialidade precoce de Truman Capote.

Felipe Terra Escrito por:

Professor e amante da arte literária, atua na área da educação desde 2011. Viciado na música de Bach, Mozart e Chet Baker, e na literatura de Raymond Chandler, Ross Macdonald e Paul Auster. Ama escrever e acredita que poderia ler mais, porém, precisa dormir, infelizmente. Consegue passar horas jogando pôquer ou xadrez com os amigos. Degustar pizzas de queijo e bacon é um dos passatempos prediletos em horas de fome extrema.

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *