# Abutres não ouvem Jazz – EP24 – Literatura policial – Por que ler, Agatha Christie, Conan Doyle e Raymond Chandler??

 

Esse podcast sobre literatura policial está muito especial. Fabiana Pereira, talvez um novo abutre para nosso grupo, Diego Fernandes, Tito Cepoline e Felipe Terra estão no comando do papo.

Eles falarão sobre as influências de Edgar Alan Poe nas obras de Conan Doyle e seu imortal Sherlock Holmes, sobre a Rainha do Crime, Agatha Christie pois sua obra merece o respeito e o destaque, afinal, seus livros já foram traduzidos para diversos idiomas e encabeça a lista de mais vendidos ao redor do mundo, ficando atrás só da bíblia e obras do inglês William Shakespeare.

Os apresentadores desse podcast vão desfilar também por outras vertentes do romance policial. Nos Estados Unidos, encontramos a leva de escritores do chamado romance noir, o lado negro da literatura norte-americana.

O genial talento de Raymond Chandler, Dashiell Hammett e Ross Macdonald surgem aqui como indicações imperdíveis de leitura por conta de todo o caráter realista de suas obras.

Analisar a literatura sob o ponto de vista social e estético é o que tem de mais complexo nesse tipo de literatura, visto que os escritos policiais foram enquadrados durante muitos anos como subliterautra.

O objetivo desse podcast é desmistificar essa visão e ampliar a visão dos ouvintes e leitores do Duofox. Ler livros policiais é tão interessante e inteligente quanto ler filosofia ou qualquer outro texto que nos faça refletir.

Mesmo por que, nas obras abordadas aqui, o que não falta são assuntos e situações para reflexão.

E por fim, ainda temos boas indicações de filmes que tem como pano de fundo o universo policial noir e repleto de ação.

  • Poderoso Chefão (1972)
  • Os Intocáveis (1987)
  • Los Angeles, Cidade Proibida (1997)
  • Homem do ano (2003)
  • Dália Negra (2006)
  • Inimigos Públicos (2009)
  • Garota exemplar (2014) (Netflix)
  • Objetos cortantes (2018) (Amazon Prime Vídeo)
  • Bom dia Verônica (2020) (Netflix)

Posts sobre literatura policial:

O Gabinete do Doutor Blanc: sobre jazz, literatura e outros improvisos – Aldir Blanc

 

Dashiell Hammett – Divisor de águas na literatura policial

O Sono Eterno – O primeiro romance policial de Raymond Chandler

A dama do lago de Raymond Chandler

O longo Adeus de Raymond Chandler, um clássico policial

Rex Stout, o lado sarcástico da literatura policial

Patrícia Melo, um toque feminino na cena policial brasileira

 

 

 

Felipe Terra Escrito por:

Professor e amante da arte literária, atua na área da educação desde 2011. Viciado na música de Bach, Mozart e Chet Baker, e na literatura de Raymond Chandler, Ross Macdonald e Paul Auster. Ama escrever e acredita que poderia ler mais, porém, precisa dormir, infelizmente. Consegue passar horas jogando pôquer ou xadrez com os amigos. Degustar pizzas de queijo e bacon é um dos passatempos prediletos em horas de fome extrema.

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *